TECNOLOGIA

Google Maps mostra casos de Covid-19 e ônibus cheio; confira as novidades

Publicados

em


source

Olhar Digital

google maps
Unsplash/henry perks

Google Maps apresenta novidades

O Google anunciou um trio de novidades para usuários do Google Maps , a fim de garantir uma celebração de fim de ano mais segura em meio à pandemia de  Covid-19 . Todas elas são expansões de  funções que o aplicativo de GPS já apresentava há alguns meses, mas que agora prometem ser bem mais informativas.

Covid-19: Infecções por localidade

A primeira e talvez a mais evidente das novidades está prometida pelo Google para ” antes das festas “, presumindo uma data anterior a 25 de dezembro, quando entra o feriado de Natal.

O Google Maps passará a informar o volume de casos confirmados de Covid-19 por região, para permitir que usuários se planejem melhor caso pensem em viajar ou visitar algum lugar em família e evite o novo coronavírus (Sars-Cov-2).

“O layout atualizado em breve mostrará, em dispositivos Android e iOS , informações sobre o número total de casos detectados em uma área, com links rápidos para recursos das autoridades locais sobre a Covid-19. Isso é especialmente útil para quem estiver viajando e precisar se atualizar sobre orientações específicas, centros de testes e restrições vigentes no local”, disse o Google em seu blog oficial.

Leia Também:  Disney prepara novo streaming com Simpsons completo no Brasil

Ocupação de transporte público em tempo real

Ainda para aqueles que buscam sair ao final do ano para as celebrações, o recurso que avalia a ocupação média de ônibus e metrô segue disponível, agora exibindo esse tipo de informação em tempo real. A grosso modo, quem buscar por uma rota de transporte público via Google Maps, o app agora mostrará o quão cheio ou vazio estará o ônibus que o levará até o destino, na hora – o que deve facilitar a prática de distanciamento social.

“Com um dispositivo Android ou iOS, será possível conferir se, naquele exato momento, seu ônibus, trem ou metrô está lotado demais, com base em informações em tempo real fornecidas por usuários do Google Maps de todo o mundo (sempre que esses dados estiverem disponíveis)”, escreve a empresa em seu blog.

Vale citar que a informação de ocupação do transporte público é feita pelos próprios usuários do Google Maps. Quando o usuário entra em um ônibus recomendado pelo GPS , ele pergunta se o coletivo está cheio ou vazio, se há espaço para sentar ou se tem que viajar em pé. Com base nestes dados é que o novo recurso deve funcionar com mais profundidade.

Comida de fim de ano, com segurança

Finalmente, o Google Maps também vai avaliar informações disponíveis sobre restaurantes que estejam fazendo reservas de fim de ano, bem como as práticas de segurança tomadas pelo estabelecimento a fim de oferecer uma refeição comemorativa mais segura aos seus clientes. Para os adeptos do delivery , o Maps também vai informar a hora exata de retirar a comida no local ou esperar pela entrega em casa.

Leia Também:  Casos de Covid-19 regridem levemente em São Paulo, diz boletim

“Para aqueles que preferem não preparar pratos elaborados nas festas de fim de ano, estamos lançando um recurso que permite visualizar informações sobre reservas em restaurantes ou a situação de pedidos feitos pelo Google Maps a partir de um dispositivo Android ou iOS para delivery ou retirada em loja. Você saberá a hora exata de ir ao restaurante ou de esperar a entrega na porta de casa”.

Os novos recursos do Maps estão sendo implementados de forma gradual, mas já devem começar a aparecer para alguns usuários. O Google aproveitou o anúncio para compartilhar alguns números que tornam esses avanços possíveis: “Para garantir as informações mais precisas e atualizadas possível, contamos com 170 bilhões de imagens de alta definição do Street View de 87 países, com contribuições de centenas de milhões de empresas e pessoas que usam o Google Maps, além de dados oficiais de mais de 10 mil governos locais e organizações e agências de trânsito”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TECNOLOGIA

Xiaomi lança Poco M3 com bateria de 6.000 mAh

Publicados

em


source

Tecnoblog

xiaomi poco m3
Divulgação/Xiaomi

Poco M3, novo celular da Xiaomi

A Xiaomi estreou o mais novo celular da Poco nesta terça-feira (24), o Poco M3 . Com bateria de 6.000 mAh, o smartphone chinês possui ficha técnica intermediária com processador Qualcomm Snapdragon 662 , armazenamento de até 128 GB e câmera tripla de 48 megapixels. Os preços do telefone começam em US$ 149.

A bateria é um dos grandes destaques do lançamento. O componente conta com capacidade de 6.000 mAh e recarga rápida de 18 watts. O smartphone ainda possui carregamento reverso para repor a energia de outros dispositivos através de um cabo compatível com a funcionalidade, que não vem na caixa.

O conjunto fotográfico triplo está alocado em uma base retangular na parte de trás, em lado oposto à marca “Poco”. A câmera principal tem 48 megapixels e é acompanhada por outras duas, de 2 megapixels, sendo uma para capturar a profundidade de campo e outra dedicada a macro. Para selfies , o sensor frontal tem 8 megapixels.

Leia Também:  Luciano Camargo não poderá ir ao enterro do pai por estar com Covid-19

A tela LCD mede 6,53 polegadas e tem resolução Full HD+ (2340 x 1080 pixels), certificações L1 Widevine e TÜV Rheinland, Gorilla Glass 3 , um notch em forma de gota d’água para abrigar a câmera frontal e bordas reduzidas. Segundo a fabricante, o painel ocupa mais de 90% da porção frontal.

A ficha técnica é intermediária, com o processador Qualcomm Snapdragon 662 , memória RAM de 4 GB e opções com armazenamento de 64 GB e 128 GB. O smartphone ainda conta com entrada dedicada para fones de ouvido, leitor de digitais, emissor de infravermelho e Android 10 de fábrica, com a interface MIUI 12 .

O celular chegará às lojas nesta sexta-feira, 27 de novembro de 2020, pelo preço sugerido de US$ 149 (64 GB) e US$ 169 (128 GB), o equivalente a cerca de R$ 810 e R$ 920, respectivamente, em conversão direta. Durante a Black Friday , ambos os smartphones terão desconto de US$ 20 (por volta de R$ 110).

Não há previsão de data e preço de lançamento do Xiaomi Poco M3 no Brasil .

Leia Também:  Casos de Covid-19 regridem levemente em São Paulo, diz boletim

Xiaomi Poco M3 – ficha técnica

  • Tela:IPS LCD de 6,53 polegadas com resolução Full HD+ (2340 x 1080 pixels), ocupa 90,34% da frontal, Gorilla Glass 3 e certificações L1 Widevine e TÜV Rheinland
  • Processador:Qualcomm Snapdragon 662, octa-core de até 2 GHz e chip gráfico Adreno 610
  • RAM:4 GB (LPDDR4X)
  • Armazenamento:64 GB e 128 GB (UFS 2.2), expansível via cartão de memória microSD de até 512 GB
  • Câmera traseira tripla:
    • principal:48 megapixels, f/1,79
    • macro:2 megapixels, f/2,4
    • profundidade de campo:2 megapixels, f/2,4
  • Câmera frontal:8 megapixels
  • Bateria:6.000 mAh, recarga rápida de 18 watts e carregamento reverso
  • Sistema operacional:Android 10 (MIUI 12)
  • Conectividade:entrada dedicada para fones de ouvido (3,5 mm), USB-C, Bluetooth 5.0, Wi-Fi 802.11a/b/g/n/ac e GPS
  • Mais:leitor de impressões digitais na lateral, emissor de infravermelho (controle remoto) e som estéreo
  • Dimensões:162,3 x 77,3 x 9,6 mm
  • Peso:198 gramas
  • Cores:amarelo, azul e preto

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA