TECNOLOGIA

Após banir Trump, Twitter suspende mais de 70 mil contas de movimento extremista

Publicados

em


source

Olhar Digital

Twitter
Unsplash/Yucel Moran

Twitter suspende contas relacionadas ao movimento QAnon

O Twitter declarou nesta segunda-feira (11) que baniu indefinidamente mais de 70 mil contas relacionadas ao movimento de extrema-direita QAnon . Segundo informações divulgadas no blog da rede social, a suspensão, que teve início na sexta-feira passada (8), visa impedir o uso da plataforma para incitar a violência.

“Devido aos eventos violentos em Washington D.C. e ao aumento do risco de danos, começamos a suspender permanentemente milhares de contas que eram principalmente dedicadas ao compartilhamento de conteúdo QAnon”, diz o post.

Movimento extremista QAnon

O movimento extremista QAnon é conhecido por propagar teorias da conspiração nos EUA. Um exemplo, é a ideia de que Donald Trump estaria “combatendo uma seita global de pedófilos satânicos em uma guerra secreta”.

A medida do Twitter também pretende evitar a disseminação de novos planos de protestos violentos. Informações internas do FBI dão conta que o Capitólio, invadido no início de janeiro , e outras instalações do governo, podem ser alvos de outros ataques até a próxima quarta-feira (20), dia da posse do presidente eleito Joe Biden. O órgão também identificou ameaças à vice-presidente, Kamala Harris.

Leia Também:  Confira os lançamentos da semana no Disney+ para maratonar no domingo

Conta de Trump segue suspensa no Twitter

Vale lembrar que na última sexta-feira (8), o Twitter suspendeu de forma definitiva a conta oficial de Donald Trump (‘realDonaldTrump’). A justificativa foi o “risco de mais incitação à violência”. De acordo com as informações do Bloomberg , a decisão teria promovido uma queda de 7% no valor das ações do microblog.

Com quase 90 milhões de seguidores, o Twitter era uma das plataformas preferidas de Trump para difundir teorias infundadas, a última delas de que a votação nos EUA teria sido fraudada. O Facebook e o Instagram também  suspenderam as contas do presidente na última quinta-feira (7).

Por fim, a postagem oficial do Twitter também aborda outras medidas para limitar a disseminação de conteúdo violento na rede social, incluindo impossibilitar a interação com qualquer tuíte “marcado como violações da política de integridade cívica”.

Leia Também:  YouTube bloqueia vídeo de Eduardo Bolsonaro sobre ivermectina

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TECNOLOGIA

YouTube mantém suspensão de Donald Trump por tempo indeterminado

Publicados

em


source

Olhar Digital

YouTube suspende Donald Trump por tempo indeterminado
Unsplash

YouTube suspende Donald Trump por tempo indeterminado

Parece que a briga entre Donald Trump e as redes sociais ainda está longe de terminar. Na terça-feira (26), o YouTube anunciou que prorrogou a proibição de acesso do ex-presidente dos EUA por tempo indeterminado. A ação faz parte de uma série de obstáculos que Trump enfrenta nas redes sociais após a invasão ao Capitólio, em 6 de janeiro.

Você viu?

Sobre a medida, a plataforma de vídeos do Google diz que, “à luz das preocupações sobre o potencial contínuo de violência, o canal Donald J. Trump permanecerá suspenso”. E ressalta que “nossas equipes estão vigilantes e monitorando de perto quaisquer novos desenvolvimentos”.

A decisão vem depois de muitas críticas ao YouTube pela reação lenta às declarações do ex-presidente. Isso porque outras redes sociais proibiram o acesso de Trump quase imediatamente após a invasão ao Capitólio.

A primeira vez que a plataforma de vídeos afirmou que vetaria Trump foi em 12 de janeiro, com uma punição de uma semana. Entretanto, no dia 19, o YouTube prorrogou a medida por mais sete dias. Além do YouTube, por enquanto Trump permanece suspenso do Facebook , do Instagram e do Twitter , entre outras redes.

Leia Também:  Galerias virtuais democratizam o acesso à arte durante a pandemia

Advogado de Trump fica sem monetização no YouTube

Além disso, o YouTube anunciou que não monetizará mais os vídeos do advogado de Trump, Rudy Giuliani. A ação foi motivada porque ele “alimentou teorias conspiratórias sobre fraudes em favor do democrata Joe Biden nas eleições”, de acordo com a revista Veja .

Com essa decisão, o ex-prefeito de Nova York, de 76 anos, passa a não ser mais beneficiado pelo programa de parceiros do YouTube . A medida foi tomada porque Giuliani infringiu as regras da plataforma de forma contínua.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA