RONDONÓPOLIS

SAÚDE

Nova Iorque declara “emergência de desastre” após aumento de casos de Covid

Publicados

em


source
Medida veio em meio à alta de novos casos no estado
Pixabay

Medida veio em meio à alta de novos casos no estado

A governadora de Nova Iorque, nos Estados Unidos , Kathy Hochul, emitiu uma declaração de “emergência de desastre”, devido à forte alta no números de novos casos e internações relacionadas à Covid-19 no estado. A decisão faz com que o Departamento de Saúde local consiga limitar procedimentos não essenciais ou não urgentes nas unidades de saúde, para priorizar os pacientes que testaram positivo para o novo coronavírus.

“Continuamos a ver sinais de alerta sobre altas [de casos] de Covid no inverno, e embora a nova variante Ômicron ainda não tenha sido detectada no estado de Nova York, ela está chegando. Hoje, eu assinei uma ordem executiva para ajudar o Departamento de Saúde a aumentar a capacidade hospitalar antes de potenciais picos”, escreveu Hochul, no Twitter.

De acordo com a governadora, a ação permite que o estado compre insumos essenciais para o combate à doença. Hochul também pediu que as pessoas tomem o imunizante. “Se vacine e receba a dose de reforço assim que você puder”, escreveu.

Leia Também:  Covid-19: Áustria terá vacinação obrigatória a partir de fevereiro

A medida foi tomada após todas as regiões do estado registrarem um aumento nos casos de Covid. Segundo o Centro de Controle de Doenças (CDC), compilados pelo New York Times , a média móvel dos últimos catorze dias foi, na quinta-feira, de 6.666 casos diários. Já a média de internações, é de 2.846. No mesmo dia, também foram registradas 32 mortes, queda de 14% em relação aos números de 14 dias atrás.

Apesar da situação, a governadora destacou a alta adesão da população à vacinação. De acordo com o CDC, 90,3% dos moradores adultos do estado receberam pelo menos uma dose do imunizante, sendo que 80,5% já completaram o ciclo vacinal. No total, 77,5% das pessoas receberam ao menos uma dose, e 68,2% completaram o ciclo.

Leia Também

Além disso, Hochul pediu que os pais e responsáveis vacinem as crianças de 5 a 11 anos. As doses da vacina da Pfizer para essa faixa etária foram liberadas pelo CDC no início de novembro.

“As crianças entre 5 e 11 anos estão aptas a receber a vacina contra a Covid-19, e a folga de Ação de Graças é o momento perfeito para vacinar suas crianças mais novas”, afirmou.

A decisão veio em um momento em que os Estados Unidos também aponta uma alta considerável nas infecções pela doença. Na quinta-feira, a média móvel de casos estava em torno de 91 mil infecções diárias, enquanto a de mortes era de 1.066. Quanto à vacinação, 69,9% dos americanos receberam ao menos uma dose, enquanto 59,5% já completaram o ciclo.

*Com informações do jornal O Globo e agências internacionais

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Vírus da Covid se propaga menos em ambientes secos do que em úmidos

Publicados

em


source
Vírus da Covid se propaga menos em ambientes secos do que em úmidos
Divulgaçao/PMG

Vírus da Covid se propaga menos em ambientes secos do que em úmidos

O coronavírus perde metade da sua capacidade de se espalhar cinco segundos depois de entrar em contato com ar seco, cuja umidade está abaixo de 50%. Quando a umidade sube para 90%, o vírus perdeu a infecciosidade mais lentamente. Os resultados são frutos de um estudo feito por pesquisadores do Centro de Pesquisa de Aerossol da Universidade de Bristol, no Reino Unido.

Os pesquisadores descobriram que o vírus perde 90% de sua capacidade de contágio 20 minutos depois de entrar no ar e que a maior parte dessa perda acontece nos primeiros minutos de chegada ao ar. Os cientistas observaram também que é menos provável que ele seja contagioso a distâncias maiores.

Os resultados, que ainda não foram revisados por pares, reforçam a noção de que o vírus é transmitido principalmente a curtas distâncias, fornecendo um novo suporte ao distanciamento social e ao uso de máscaras para conter a propagação.

Leia Também:  Covid-19: confira pronunciamento sobre chegada de vacinas pediátricas

No estudo, os cientistas se concentraram em três das variantes anteriores, não incluindo a Ômicron, mas disseram que não esperam que outras variantes circulantes se comportem de maneira diferente.

As descobertas indicam que as partículas virais secam rapidamente depois de deixarem o ambiente úmido e rico em dióxido de carbono dos pulmões, reduzindo sua capacidade de infectar outras pessoas.

“Quando você se afasta, não apenas o aerossol é diluído, mas também há menos vírus infeccioso porque o vírus perdeu a infectividade (como resultado do tempo)”, disse Jonathan Reid, um dos líderes da pesquisa, em entrevista ao jornal The Guardian.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA