RONDONÓPOLIS

SAÚDE

Doses insuficientes levam Rio a adiar vacinação de crianças de 10 anos

Publicados

em


A insuficiência de doses nos postos de saúde levou a cidade do Rio de Janeiro a adiar a vacinação de crianças de 10 anos contra a covid-19. Segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, o calendário será retomado semana que vem com a imunização de crianças desta faixa etária.

De acordo com calendário divulgado hoje (20) pela Secretaria Municipal de Saúde, a repescagem da vacinação para meninos e meninas com 11 anos de idade continuará até segunda-feira (24). Já as crianças com deficiência ou comorbidades podem se vacinar, desde que estejam na faixa de 5 a 11 anos de idade.

A secretaria informou que todos os postos de vacinação estão aplicando a primeira dose da vacina em maiores de 12 anos. É preciso apresentar carteira de identidade, número do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e, se possível, caderneta de vacinação. Para a segunda dose e a dose de reforço, é necessário levar também o comprovante de aplicação da primeira dose.

O Ministério da Saúde espera receber no próximo domingo (24) mais 1,8 milhão de doses pediátricas da Pfizer, única vacina autorizada até o momento para aplicação em crianças de 5 a 11 anos. De acordo com a pasta, o país já recebeu 2,5 milhões de doses da vacina pediátrica. O último lote, com 1,2 milhão de doses, foi entregue no último domingo (16) e está sendo distribuído aos estados.

Leia Também:  Hepatite em crianças: infecção prévia de Covid-19 pode ser responsável

Acesso

As unidades 24 horas da rede municipal de saúde – UPAs, hospitais, centros de emergência regional e centros de atenção psicossocial tipo 3 – funcionarão ininterruptamente no fim de semana prolongado pelo feriado do Dia de São Sebastião, padroeiro da cidade. Os locais de vacinação podem ser encontrados no site da prefeitura.

Centros municipais de saúde, clínicas da família e centros de testagem funcionam nesta quinta-feira e também amanhã, das 8h às 17h, exclusivamente para ações de combate à covid-19, atendimento e testagem e vacinação contra a doença.

Os centros de testagem com funcionamento nos fins de semana estão informados também no site da prefeitura.

Hoje, feriado municipal para celebrar o padroeiro da cidade do Rio de Janeiro, São Sebastião, os postos de vacinação e de testagem estão funcionando normalmente.

Matéria alterada às 16h04 para acréscimo de informação.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Dia Mundial da Doação de Leite realça o valor do aleitamento

Publicados

em

O Dia Mundial de Doação de Leite Humano, celebrado nesta quinta-feira (19), é uma iniciativa para a proteção e promoção do aleitamento materno. A data também chama a atenção da sociedade para a importância da doação de leite para os Bancos de Leite Humano (BLH).

O BLH é um serviço especializado em oferecer ações de apoio, proteção e promoção do aleitamento materno, dedicando-se à assistência das mães e dos bebês durante o processo de amamentação. Além disso, executa atividades de coleta, seleção, classificação, processamento, controle de qualidade e distribuição do leite materno doado voluntariamente por mães.

Os bebês prematuros, considerando a sua condição de saúde e de internação, têm dificuldades de sugar o leite materno. Por isso, o leite humano do banco de leite é a melhor opção para alimentação de crianças internadas que, por algum motivo, não podem ser amamentadas diretamente no seio materno. A doação de leite materno pode ser feita por mães saudáveis que estejam amamentando seus filhos. Um frasco de leite materno pode ajudar a alimentar até dez bebês. 

“O leite materno protege contra infecções importantes e evita que crianças prematuras  tenham complicações, e traz diversos benefícios para os bebês prematuros e de uma forma geral. Mas, em especial para os bebês de risco que estão mais propensos ao óbito, por conta da fragilidade em que se encontram”, disse a coordenadora do Centro de Aleitamento e Banco de Leite da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp),  professora Kelly Pereira Coca. 

Leia Também:  Saúde cria sala de situação para monitorar hepatite aguda em crianças

A bióloga e doula [profissional que acompanha a gestante durante a gravidez, parto e período pós-parto], Luana da Silva Freitas, de Ouro Preto (MG), conta a experiência de doar. “Doar leite materno é uma via de mão dupla porque favorece a pessoa que está doando, no sentido de esvaziamento dos seios, já que evita algumas alguns problemas como a mastite, facilitando assim a amamentação do bebê, e ajuda bebês prematuros que não podem, por inúmeras razões, receber o leite materno da sua mãe”. 

Estoque baixo

Atualmente, o Banco de Leite Humano da Universidade Federal de São Paulo está com o estoque abaixo do ideal para suprir a necessidade de crianças internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e demais unidades pediátricas do Hospital São Paulo, o hospital universitário da Unifesp.

“A quantidade de leite atual em estoque é de 40 litros. Costumamos ter pelo menos 100 litros, o que é ainda uma quantidade razoável, não é uma quantidade ideal porque a gente atende os bebês diariamente na UTI neonatal, especialmente os prematuros que nasceram com algum problema de saúde que não podem ser amamentados pelas mães”, explicou a coordenadora do Banco de Leite da Unifesp. 

Para ser uma doadora, basta estar saudável e apresentar produção láctea maior do que as necessidades do próprio bebê. Para isso, basta entrar em contato com o banco de leite humano mais próximo do domicílio para fazer a doação.

“A partir do momento que a mulher se interessa pela doação, a gente faz o rastreamento, avaliação dos exames, da saúde, a identificação se faz algum uso de medicação e analisa se tem alguma restrição.  Não havendo restrição, ela recebe todas as informações quanto ao armazenamento e extração do leite. Ela não precisa ir até o banco extrair o leite para doar. Ela entra em contato conosco e vamos direcioná-la, porque a doação também é regionalizada, temos bancos de leite distribuídos por todo o Brasil”, disse a professora Kelly.

Leia Também:  Diabetes gestacional: conheça as causas e saiba como evitar

Como doar

Para saber onde doar em seu estado, acesse o site da Rede Global de Bancos de Leite Humano.

Em São Paulo, o Posto de Coleta do Banco de Leite, localizado no 8º andar do HSP/HU Unifesp, ao lado da UTI Neonatal, é aberto às mulheres internadas em todos os setores do hospital e às funcionárias que desejam ser doadoras. 

O funcionamento do posto é das 8h às 12h e das 13h às 15h, de segunda a sexta-feira (exceto feriados). Já o Banco de Leite Humano – Centro Ana Abrão, situado na rua dos Otonis, 683, funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h, sendo responsável pelas coletas domiciliares de doadoras externas ao HSP/Unifesp e, ainda, pelo atendimento às nutrizes com dificuldade no aleitamento materno.

Serviço:

Posto de Coleta do Banco de Leite em São Paulo, capital

(11) 5576-4848 (VoIPs 2817 / 2543),

WhatsApp® (11) 94044-2802

e-mail: [email protected] ou pelo site.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA