SAÚDE

Brasil recebe mais dois lotes de vacinas da Pfizer

Publicados

em


O Brasil recebeu hoje (16) mais dois lotes de vacinas contra covid-19 da Pfizer. Os imunizantes foram trazidos em dois voos que chegaram no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), às 20h15 e às 21h40. No total, foram entregues ao Ministério da Saúde, 2.070.900 doses.

Após o desembarque no aeroporto, as vacinas seguem para o depósito do ministério, em Guarulhos (SP) e, em seguida, são enviadas aos mais de 38 mil postos de vacinação espalhados pelo país.

Até o final de 2021, segundo a empresa Pfizer, serão entregues 200 milhões de doses do imunizante, por meio de dois contratos de fornecimento da vacina. O primeiro, fechado com o Ministério da Saúde, em 19 de março, prevê a entrega de 100 milhões até o final de setembro. Já o segundo, assinado em 14 de maio, prevê mais 100 milhões de doses entre outubro e dezembro.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ronnie Von participa do próximo episódio de "MasterChef Brasil"; confira aqui!
Propaganda

SAÚDE

Covid-19: Em evento na Inglaterra, Queiroga defende ciência e vacina

Publicados

em


source
Marcelo Queiroga, ministro da Saúde
Tony Winston/MS

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, defendeu a ciência e a cooperação científica para o enfrentamento da pandemia. As declarações foram dadas na tarde desta quarta-feira na Universidade de Oxford, na Inglaterra, onde a pasta assinou um termo de intenção para a construção da primeira uma unidade de pesquisa da instituição no Brasil.

“A pandemia nos ensinou muito, mas, sobretudo, ensinou que é através da ciência de qualidade que nós vamos caminhar para ajudar a população mundial a sair de situações como essa”, pontuou Queiroga. “É um aceno para o futuro, para a formação de pesquisadores de altíssimo nível, que poderão, sim, construir um sistema de saúde mais eficiente, mais sólido e com capacidade de atender o Brasil com uma qualidade cada vez maior.”

Leia Também

O cardiologista também ressaltou a importância da vacina de Oxford/AstraZeneca para reduzir o número de casos, hospitalizações e mortes. O imunizante é produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no país:

“Essa vacina foi muito importante para reduzir não só o número de casos, mas, sobretudo, o número de óbitos provocado pela pandemia da Covid-19.”

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA