RONDONÓPOLIS

SAÚDE

4ª onda da Covid-19 preocupa OMS: “Vacinas não evitam totalmente a transmissão”

Publicados

em


source
Vírus da Covid-19
Reprodução/FreePic

Vírus da Covid-19

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) , Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (24), que o órgão está preocupado com a falsa ideia de segurança que as vacinas proporcionam em meio a 4ª onda da Covid-19 .

“As vacinas salvam vidas, mas não evitam totalmente a transmissão da Covid-19”, afirmou o diretor.

“Em muitos países e comunidades, estamos preocupados com a falsa sensação de segurança de que as vacinas acabaram com a pandemia da Covid-19 e que as pessoas vacinadas não precisam tomar quaisquer outros cuidados”, completou.

Ainda, Tedros indicou dados sobre a transmissibilidade do novo coronavírus mediante a variante Delta, a mais transmissível entre as identificadas até aqui. Segundo ele, antes da nova variante as vacinas reduziam a transmissão em cerca de 60%. Com a Delta, a redução caiu para aproximadamente 40%.

“Se você for vacinado, terá um risco muito menor de Covid grave e morte, mas ainda corre o risco de ser infectado e infectar outras pessoas. Continue a tomar precauções. Isso significa usar máscara, manter o distanciamento, evitar multidões e encontrar outras pessoas do lado de fora, se puder, ou dentro, mas em um espaço bem ventilado”, acrescentou o diretor-geral.

Leia Também:  Brasil registra 22,9 milhões de casos e 620,7 mil óbitos por covid-19

Leia Também

4ª onda da Covid-19

Segundo a diretora da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mariângela Simão, “o mundo está entrando em uma quarta onda” da pandemia da Covid-19. 

Nos últimos dias, mais de 60% de todos os casos e mortes por Covid-19 estão sendo registrados no continente europeu. O crescimento já tem lotado sistemas de saúde na Europa, como é o caso da Holanda que precisou transferir pacientes para a Alemanha . No entanto, embora o estopim esteja acontecendo novamente na Europa, Tedros afirma que nenhum país ou região está fora de perigo.

“É importante que todos os países aumentem a vacinação agora e garantam que as medidas corretas estejam em vigor para evitar piores consequências em ondas futuras“, finalizou o diretor-geral da OMS. 

Leia Também:  Covid longa pode afetar apetite e deixar crianças 'chatas para comer'


Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Covid-19: Brasil tem 23,2 milhões de casos e 621,5 mil mortes

Publicados

em


A quantidade de pessoas que pegaram covid-19 ao longo da pandemia chegou a 23.211.894. Nas últimas 24 horas, foram registrados 137.103 casos da doença. Ontem, o sistema de informações da pandemia do Ministério da Saúde contabilizava 23.074.791 casos acumulados. Há uma semana, o número de novos diagnósticos positivos registrados foi de 70.765.

Ainda há 817.292 casos em acompanhamento, de pessoas que tiveram o quadro de covid-19 confirmado. Ontem, o número estava em 749.575. Há uma semana, eram 342.075.

O total de infectados com a variante Ômicron chegou a 846. Do total registrado hoje, foram identificados 156 no Rio de Janeiro, 145 em Pernambuco e 121 em São Paulo. Foram registrados dois óbito até agora. Ainda há 1.080 potenciais casos em investigação, a maioria no Rio de Janeiro (561), Rio Grande do Sul (243) e Minas Gerais (182).

Boletim Epidemiológico Boletim Epidemiológico

Boletim Ômicron – 18/01/2022/Divulgação/ Ministério da Saúde

Já as vidas perdidas para a pandemia do novo coronavírus alcançaram 621.517. Entre ontem e hoje, foram registradas 351 mortes. Ontem, o painel de informações da pandemia marcava 621.166 óbitos. Há uma semana, os novos falecimentos somaram 147.

Boletim Ômicron Boletim Ômicron

Boletim Epidemiológico – 18/01/2022/Divulgação/ Ministério da Saúde

Ainda há 3.209 mortes em investigação, dados que não vêm sendo atualizados nos últimos dias. As mortes em investigação ocorrem pelo fato de haver casos em que o paciente faleceu, mas a investigação se a causa foi covid-19 ainda demandar exames e procedimentos posteriores.

Até esta terça-feira, 21.773.085 pessoas já se recuperaram da doença.

Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta terça-feira (18). A atualização reúne informações sobre casos e mortes enviadas pelas secretarias estaduais de saúde.

Os números em geral são menores aos domingos, segundas-feiras o nos dias seguintes aos feriados em razão da redução de equipes para a alimentação dos dados. Às terças-feiras e dois dias depois dos feriados, em geral há mais registros diários pelo acúmulo de dados atualizado.

Estados

Segundo o balanço do Ministério da Saúde, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão São Paulo (155.858), Rio de Janeiro (69.616), Minas Gerais (56.833), Paraná (40.951) e Rio Grande do Sul (36.552).

Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (1.854), Amapá (2.032), Roraima (2.082), Tocantins (3.976) e Sergipe (6.067).

Vacinação

Até esta terça-feira (18), foram aplicados 341 milhões de doses, sendo 162,4 milhões com a 1ª dose e 147,7 milhões com a 2ª dose ou dose única. Outros 25,7 milhões já receberam a dose de reforço.

Edição: Claudia Felczak

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Covid-19: Brasil registra 22,8 milhões de casos e 620,5 mil óbitos    
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA