POLÍTICA MT

Secretaria de Planejamento Estratégico realiza capacitação interna para discutir Plano Tático

Publicados

em


Planejamento Estratégico retoma ações do Plano Estratégico 2017-2024

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

A Superintendência de Planejamento Estratégico da Assembleia Legislativa retoma ações do Plano Estratégico 2017-2024, que prevê estudo para saber sobre a situação das metas e estratégias de cada unidade da Casa, para melhorar o desempenho dos objetivos traçados. A primeira etapa da retomada teve início na terça-feira (24) com a capacitação dos servidores da unidade para discutir as ações que serão desenvolvidas ao longo do próximo ano junto aos gestores das demais unidades da ALMT.

“É imprescindível, neste momento, reavaliarmos as condições dos projetos que já vinham sendo desenvolvidos e fazer as adaptações considerando o comprometimento das atividades ao longo deste ano e as estratégias para a retomada dentro de uma realidade de trabalho diferente”, avalia o superintendente de Planejamento, coronel Joselito Espírito Santo de Paula.

Ele explica que a fase atual do planejamento prevê o desenvolvimento do Plano Tático, que foca nas ações mais concretas e específicas para cada unidade, a serem trabalhadas em médio prazo e em conjunto com os gestores.

Leia Também:  Deputado Claudinei destinará emenda para a Secretaria de Esporte e Lazer de Rondonópolis

Após essa capacitação para estabelecer diretrizes, serão formados grupos de trabalho para desenvolver os projetos junto de cada secretaria. Eles devem ser criados de forma a garantir que os objetivos estratégicos sejam alcançados. “Vamos primeiro planejar, definir equipes, depois ir aos setores da Casa, colocar tudo em andamento e em seguida fazer o acompanhamento para avaliar os resultados”, anunciou Joselito na reunião. As atividades estão previstas para começar após o recesso de final de ano.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

Campanha Janeiro Branco reforça importância da rede de atendimento

Publicados

em


Dr. Eugênio foi autor da Lei 11.155/2020 que autorizou contratação emergencial de psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e médicos psiquiatras durante a pandemia

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

A Lei 11.203/2020, de autoria do deputado Dr. Gimenez, estabelece a política de diagnóstico e tratamento para depressão

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

A pandemia impôs novos costumes e o isolamento social contribuiu para despertar desconfortos emocionais e até doenças, como transtorno de ansiedade e depressão. Neste contexto, a campanha nacional Janeiro Branco tem como tema “Todo cuidado conta” e busca reforçar a importância da rede de apoio e cuidado à saúde mental e das múltiplas necessidades — públicas e privadas — relativas à saúde mental das pessoas.

O psicólogo e servidor da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Raul Tibaldi, destaca que a pesquisas apontam, por exemplo, o desencadeamento de transtornos de ansiedade e depressão e indícios de aumento do comportamento suicida durante o isolamento social. “Parece inegável que muitos a nossa volta experimentaram sentimentos de medo, ansiedade e tristeza, entre outros, com mais frequência e maior intensidade devido ao contexto pandêmico e, em especial, ao modo como ele foi gerenciado no Brasil”, afirma o psicólogo.

De acordo com Raul Tibaldi, psiquiatras e psicólogos relatam aumento do número de queixas e procura por atendimentos. Em Mato Grosso, a Secretaria de Estado de Saúde explicou que a saúde mental é o tema central da campanha Setembro Amarelo, mas que ao longo de todo o ano a rede de profissionais e apoio às pessoas fica disponível na rede básica de saúde e nos centro especializados, inclusive durante o período de isolamento.

Leia Também:  Deputado Thiago Silva realiza reuniões com lideranças de Primavera do Leste e anuncia emenda

Para o psicólogo, as políticas públicas de saúde mental e assistência social brasileiras são planejadas para serem suficientes. Contudo, considerando o atual contexto político do país, isso tem sido cada vez mais dificultado em sua efetivação. “O último exemplo mais relevante disso foi a tentativa de revogação, pelo Ministério da Saúde e Governo Federal, de diversos atos normativos que regulam a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS). Nesse sentido, a ampliação e melhoria do atendimento público à saúde mental passa, dentre outros aspectos, pela defesa e fortalecimento das políticas públicas do SUS, SUAS e RAPS”, afirma Tibaldi.

Durante a pandemia do novo coronavírus, a Lei 11.155/2020 autorizou a contratação emergencial temporária de psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais, para oferecer atendimento às vítimas de depressão e tendências suicidas em decorrência do isolamento social. De autoria do deputado Dr. Eugênio, a lei visa o atendimento para aqueles que passaram pela dor da perda de entes queridos, que tiveram consequências emocionais geradas pelo confinamento social ou pela impossibilidade de garantir o sustento de suas famílias, no caso dos trabalhadores informais e outros.

Leia Também:  Avallone quer parceria com MPE e Judiciário para Estado executar obras em áreas particulares no Pantanal

Outras leis – Para auxiliar no diagnóstico e tratamento de pessoas com depressão, foi sancionada no ano passado a Lei 11.203/2020, que institui a política de diagnóstico e tratamento na rede de saúde pública de Mato Grosso. De autoria do deputado Dr. Gimenez (PV), a nova regra também cria um protocolo de identificação, cadastramento e acompanhamento de pacientes na rede pública diagnosticados com depressão. Além disso, o estado deve promover campanhas de conscientização sobre o tema junto aos diferentes públicos afetados, de forma mostrar a gravidade da doença.  

“O estado não pode se furtar da responsabilidade em relação à saúde pública e tem o dever de esclarecer a população que esta doença desencadeia muito sofrimento, incapacita e quando não tratada pode levar a pessoa a não querer mais viver. Também traz inúmeros prejuízos à economia e ao próprio estado por estar entre os principais motivos de afastamentos e licenças médicas”, afirma Dr. Gimenez.

O Projeto de Lei 101/2019, que regulamenta a campanha Janeiro Branco em âmbito estadual, está em tramitação na ALMT. Ele já foi aprovado na comissão de mérito, Comissão de Saúde, e na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) e está apto para apreciação em Plenário.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA