POLÍTICA MT

“Precisamos olhar para quem mais precisa de ajuda neste momento”, diz Max Russi

Publicados

em


Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Max Russi (PSB), participou nesta quarta-feira (7) da entrega de cestas básicas para centenas de artesãos de Cuiabá e da Baixada Cuiabana. A ação social, coordenada pela primeira-dama de Mato Grosso, Virgínia Mendes, e Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), também fizeram a entrega de 9 mil cestas básicas para Várzea Grande, incluindo a zona rural da cidade.

“A Assembleia Legislativa apoia esse tipo de iniciativa e é parceira do governo do Estado, nesse momento tão crítico em que milhares de famílias passam por dificuldades financeiras. Com certeza, essas cestas básicas chegarão às famílias mais carentes e, em breve, o município também será contemplado com o Ser Emergencial. É esse trabalho social que precisamos fazer: olhar para quem mais precisa de ajuda neste momento”, recomendou o parlamentar.

A doação de alimentos perecíveis faz parte da campanha Vem Ser Mais Solidário – MT unido contra o coronavírus, que teve início em março de 2020. No ano passado, foram entregues 330 mil cestas básicas e, neste ano, o estado por meio da primeira-dama, pretende alcançar 540 mil famílias, nos 141 municípios mato-grossenses. Além disso, o governo também criou o auxílio Ser Emergencial, programa de transferência de renda, no valor de R$ 150 mensais, durante 90 dias, que a partir deste mês, estará disponível às 6 mil famílias, que atualmente, se encontram em vulnerabilidade social.

Leia Também:  EUA retomam assistência a palestinos e darão US$ 235 milhões em ajuda

Para Virgínia Mendes, o momento é de estender as mãos para quem mais necessita. Ela garantiu que o governo, por meio da Setasc, não medirá esforços para ajudar os mais necessitados. “É uma forma de o governo mostrar que estamos sensíveis as questões sociais e que tem feito de tudo para ajudar os mais vulneráveis nessa pandemia. A Setasc está acompanhando essas famílias de perto e vamos ajudar o máximo de pessoas possível. Quero agradecer o apoio da Assembleia Legislativa que, tem sido imprescindível neste momento tão difícil. O deputado Max tem sido um grande parceiro dos trabalhos sociais no estado”, ressaltou a primeira-dama.

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

Quem aprovou a ação foi o artesão e artista plástico, Toninho Guimarães, ele, que desde o ano passado tem recebido a ajuda do governo do Estado por meio da doação de alimentos. “Desde que começou a pandemia aqui em Mato Grosso, estou recebendo o apoio do governo. Minhas vendas caíram demais por causa da pandemia, o que tem me ajudado são essas cestas básicas e o auxílio emergencial e, agora, ainda vou conseguir o auxílio do Ser Emergencial. Só tenho que agradecer por essa ajuda ao nosso segmento, que tanto tem sofrido por conta desse vírus”, destacou o artesão.

Leia Também:  André Rizek posta foto do nascimento dos gêmeos: "Que momento!"

A aposentada Francisca Gomes, 77 anos, também falou da importância da ação. Diferente do Toninho Guimarães, ela não tem direito ao auxílio emergencial, por já contar com a aposentadoria, mensalmente. “Muito boa a iniciativa do governo em doar essas cestas. Minha aposentadoria não é suficiente para dar conta dos compromissos e despesas e, eu agradeço muito a Deus por hoje poder receber esses alimentos. Agora já vamos ter o que comer nessa semana”, comemorou.

Doações – Os interessados em doar alimentos não perecíveis ou produtos de limpeza e higiene pessoal, basta entrar em contato com a Setasc pelo telefone: (65) 3613-5700. Quem preferir doar recursos financeiros, a conta bancária especial, aberta exclusivamente para isso é: Banco do Brasil. Agência 3834-2. Conta bancária número 1.042.810-0.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

Avallone destaca protagonismo da ALMT na decisão que adiou aumento da energia

Publicados

em


Foto: ANGELO VARELA / ALMT

O relator da CPI da Energisa, deputado Carlos Avallone (PSDB), destacou na última reunião da comissão o protagonismo da Assembleia Legislativa contra o reajuste nas tarifas de energia elétrica. Ele lembrou que há duas semanas a Mesa Diretora da AL-MT solicitou à diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) a suspensão do reajuste por meio do documento oficial 080/2021.

No oficio, aprovado pelos 24 deputados, a CPI da Energisa argumentou a necessidade de suspender o aumento durante o período em que vigoram as medidas de contenção ao avanço da Covid-19.  Durante a reunião, Carlos Avallone divulgou o teor do ofício recebido do diretor da ANEEL Sandoval de Araújo Feitosa Neto, onde o gestor federal confirma o recebimento da solicitação da Assembleia e garantiu que o reajuste não será aplicado agora. 

Na terça-feira (6), a diretoria da agência reguladora anunciou o adiamento da aplicação do reajuste tarifário para os consumidores de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e parte de São Paulo. O reajuste previsto era de até 19,4% para os estados da região Centro-Oeste.

No ofício encaminhado ao relator, Sandoval Feitosa afirma que “a ANEEL vem trabalhando com afinco para atenuar os impactos do reajuste tarifário de 2021 da Energisa MT para os consumidores do estado. Assim, recebemos com felicidade o empenho da Assembleia Legislativa, de forma uníssona, em buscar o diálogo com a Agência para cooperar nesse esforço conjunto. Por isso, aliado a um conjunto de ações em estudo e que precisam de tempo adicional para maturação, e ao pedido da Assembleia de Mato Grosso, propus e foi acatado pela Diretoria na Reunião Pública do dia 06 de abril a prorrogação das atuais tarifas para que as ações em estudo possam ser concretizadas”.

Leia Também:  Deputado acompanha início da vacinação das forças de segurança em Rondonópolis

Nos próximos dias, a ANEEL vai realizar consultas públicas, onde a sociedade poderá apresentar sugestões para diminuir o percentual de aumento da tarifa de energia elétrica, disse Avallone. “A equipe técnica da CPI está elaborando sugestões para minimizar o impacto do aumento no bolso do consumidor. O reajuste não pode ser no patamar que estão propondo e estamos trabalhando para que seja mesmo adiado para o próximo ano, pois o momento já é de muitas dificuldades para todos”, disse. 

No ofício encaminhado à CPI, a Aneel afirma que está analisando vários pontos que podem impactar a redução do percentual de aumento, a começar pela revisão dos parâmetros usados atualmente e a proposta de dissolução do aumento previsto para este ano nos anos seguintes.  Veja a íntegra do ofício da ANEEL: 

Cortes proibidos 

A Assembleia também aprovou em março o Projeto de Lei nº 160/2021, proposto pelo deputado Eduardo Botelho (DEM) e apresentado pelas lideranças partidárias, que proibiu o corte no fornecimento de energia elétrica em Mato Grosso por inadimplência nos próximos três meses. Objetivo é ajudar milhares de famílias que em função da pandemia e da restrição das atividades econômicas, não têm condições de efetuar o pagamento agora. O projeto aguarda sanção governamental.

Leia Também:  Duda Reis faz dancinha sensual ao som de “proibidão” do momento: “Novinha bate bumbum”

Além do relator Carlos Avallone e Elizeu Nascimento (presidente), compõem a CPI da Energisa os deputados Thiago Silva (MDB), Paulo Araújo (PP) e Dr. Eugênio (PSB). Os suplentes são Valdir Barranco (PT), Romoaldo Júnior (MDB), Xuxu Dal Molin (PSC), Dilmar Dal Bosco (DEM) e Valmir Moretto (Republicanos).

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA