POLÍTICA MT

Mato Grosso deverá realizar campanha de prevenção ao câncer de ovário

Publicados

em


Campanha foi proposta pelo deputado Dr. Gimenez, que também é médico

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O Projeto de Lei nº 899/2020 propõe a realização da Campanha Estadual de Prevenção e Combate ao Câncer de Ovário. A proposta é debater a doença mais letal entre as mulheres e a mais difícil de ser diagnosticada. Cerca de 70% dos casos são descobertos tardiamente e apenas 43% das mulheres sobrevivem por mais de cinco anos após o diagnóstico.

Para o deputado estadual Dr. Gimenez (PV), autor da proposta, a campanha tem o intuito de levar mais informações sobre esse tipo de câncer e também proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico, proporcionando mais humanização e a redução da mortalidade de mulheres.

Números do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam que o câncer de ovário é a segunda neoplasia ginecológica mais comum, ficando atrás apenas do câncer do colo do útero, portanto, o diagnóstico rápido contribui com a saúde da mulher como um todo. O parlamentar explica que o histórico familiar também é importante (cerca de 10% dos casos).

“O tumor pode acometer a mulher em qualquer idade, mas é mais frequente depois dos 40 anos. Vocês devem estar atentas a alguns sintomas, como sangramento vaginal após a menopausa ou antes da menopausa, dor pélvica, perda ou ganho de peso inesperada e ainda a perda de apetite”, esclarece Dr. Gimenez, que também é médico.

Leia Também:  Policia Militar de MT receberá armamentos para intensificar o combate à criminalidade

O câncer de ovário é um tumor silencioso e não muito divulgado, por isso a proposição visa prioritariamente propagar informações que podem salvar a vida de muitas mulheres. Entre os objetivos da campanha estão: conscientização sobre a doença; acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade; proteção e auxílio às pacientes; ações educativas por parte dos diversos segmentos sociais e instituições públicas.

Para fins de orientação, as ações da Campanha Estadual de Prevenção e Combate ao Câncer de Ovário devem ser amplamente divulgadas nos meios de comunicação e redes sociais já existentes na rede de saúde pública. “Também tornamos obrigatório que toda paciente diagnosticada com de câncer de ovário receba acolhimento humanizado, respeitoso e deve ser cuidada em ambiente adequado ao seu tratamento”.

Câncer silencioso – Quando diagnosticado e tratado no estágio 1, ou seja, quando a doença está localizada, a taxa de sobrevida da paciente em cinco anos é de cerca de 92%. Mas em média somente 15% dos cânceres de ovário são diagnosticados nesta fase. Quando a doença acomete órgãos regionais (vizinhos), a taxa de sobrevida em 5 anos cai para 76%. Já no estágio avançado, com acometimento de outros órgãos distantes, a taxa de sobrevida em 5 anos é ainda mais reduzida.

Leia Também:  Câncer em crianças e jovens tem 80% de cura com diagnóstico precoce

Fatores de risco – Obesidade, tabagismo e excesso de álcool aumentam o risco de tumor no ovário, por isso é recomendado realizar atividade física regular e manter uma dieta rica em frutas, vegetais e grãos integrais. Também é importante eliminar o consumo de alimentos ultraprocessados e fast foods, além de evitar açúcares refinados presentes em sobremesas e bebidas. Outros fatores importantes são o próprio avançar da idade (a partir de 40 anos), existência de casos da doença na família e problemas reprodutivos, que em geral estão associados a outras questões, como ter filhos após os 35 anos e/ou fazer uso de hormônios em tratamentos de infertilidade ou em terapias pós-menopausa.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

Atividades remotas devem continuar na ALMT

Publicados

em


Deputados da Comissão de Saúde recomendaram a continuidade das atividades remotas

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

A Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social recomendou, nesta segunda-feira (23), que a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) mantenha as medidas administrativas adotadas para prevenir a infecção e propagação do novo coronavírus (Covid-19). Entre elas, está a suspensão do atendimento ao público externo e a realização das sessões plenárias, reuniões das comissões permanentes e temporárias e audiências públicas de forma virtual, através do Sistema de Deliberação Remota.

A recomendação foi feita pelos deputados Dr. Eugênio (PSB), Dr. João (MDB), Lúdio Cabral (PT) e Dr. Gimenez (PV), em resposta a um memorando encaminhado pela Secretaria Parlamentar da Mesa Diretora, por meio do qual o presidente, deputado Eduardo Botelho (DEM), solicita parecer da comissão acerca da viabilidade de retorno do funcionamento integral da ALMT.

Lúdio Cabral sugeriu que as medidas sejam mantidas até o encerramento do ano legislativo e voltem a ser discutidas no início do próximo ano, sendo acompanhado pelos demais parlamentares. “Nós ainda precisamos conservar esse modelo híbrido de funcionamento e, a partir de janeiro, dependendo de como tiver a curva da epidemia, podemos retomar o funcionamento normal. Se continuar o padrão de descida da curva epidêmica que observamos agora, nós chegaremos em fevereiro a um cenário de bastante estabilidade. Não podemos esquecer que ainda temos dois milhões de cidadãos no estado que ainda não foram infectados e as bolhas de proteção podem começar a estourar, então precisamos manter todos o cuidado possível”.

Leia Também:  Delegado Claudinei homenageia servidores da Deletran

O parlamentar também defendeu a realização de duas sessões plenárias por semana, às terças e quartas-feiras, para que haja mais tempo para debater as proposições. Atualmente as sessões estão sendo realizadas às quartas-feiras.

Conforme Resolução Administrativa nº 54, publicada no Diário Oficial da Assembleia Legislativa do dia 25 de setembro, permanecem suspensos nas dependências da Assembleia Legislativa o atendimento presencial do público externo no Espaço Cidadania, Posto de Atendimento do Procon, Defensoria Pública e Instituto Memória do Poder Legislativo; as atividades realizadas no Teatro Zulmira Canavarros, Assembleia Social, Escola do Legislativo e as visitas guiadas na Assembleia Legislativa “Por dentro do Parlamento”; e a visitação de público externo aos gabinetes dos deputados, ressalvados os casos autorizados pela Coordenadoria Militar/Chefia de Gabinete.

Além disso, a Secretaria de Administração e Patrimônio tem adotado medidas para evitar a propagação interna da Covid-19, intensificando a limpeza e desinfecção de superfícies nas dependências da ALMT, e o Qualivida continua atendendo servidores e dependentes com casos suspeitos da doença.

Panorama – Como vem fazendo em todas as reuniões da Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social, Lúdio Cabral apresentou projeções atualizadas sobre o avanço da Covid-19 em Mato Grosso, utilizando como base os números oficiais divulgados pelo governo do estado.

Leia Também:  CST Mulher e Assembleia Social marcam Mês da Consciência Negra com feira e apresentações artísticas nesta sexta (27)

Segundo ele, a taxa de contágio está acima de 1 há praticamente uma semana e apresenta tendência de subida, que poderá ser observada a partir da semana que vem na média móvel de casos novos notificados. Em relação ao número de casos novos, conforme explicou, foi possível observar uma descida lenta e estabilidade na última semana. Já a média móvel de óbitos mantém o padrão de descida lenta.

Durante a reunião, os parlamentares também reforçaram a necessidade de respeitar o distanciamento social, usar máscara e adotar as demais medidas de prevenção. “Temos que tomar cuidado. Parece que não tem pandemia. Acho que deveria ter um trabalho de conscientização por parte das autoridades para que as pessoas fiquem em casa”, afirmou o vice-presidente da comissão, deputado Dr. João.

O deputado propôs ainda que os atendimentos a pacientes de Covid-19 sejam centralizados no Hospital Metropolitano e que o Hospital Estadual Santa Casa volte a fazer cirurgias eletivas. Lúdio Cabral defendeu que a situação das estruturas destinadas ao atendimento de pacientes de Covid-19 seja discutida com o secretário de estado de saúde, Gilberto Figueiredo.

Projetos de Lei – Foram aprovados pareces favoráveis aos projetos de lei 1048/2019, 863/2020, 872/2020, 868/2020, 874/2020, 875/2020 e 887/2020. Os conteúdo do projetos, emendas e a tramitação pode ser acompanhados aqui. 

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA