RONDONÓPOLIS

POLÍTICA MT

Botelho destina emenda e escolas de Itanhangá receberão tablets

Publicados

em


Foto: MAURICIO BARBANT / ALMT

A rede de ensino municipal de Itanhangá vai receber investimentos na ordem de R$ 270 mil com a compra de tablets para alunos e professores das escolas municipais. O convênio 0986-2021 foi firmado na semana passada, com a Secretaria Estadual de Educação – Seduc, que entrará com R$ 250 mil, por meio de emenda do deputado Eduardo Botelho (DEM), primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, e mais 20 mil da contrapartida da Prefeitura Municipal de Itanhangá.

A emenda de Botelho visa proporcionar tecnologia e melhorar as condições do ensino que avança cada vez mais com o uso de computadores.  

“Vivemos numa nova era, com nova forma de aprendizado através da tecnologia. Ela é importante para os alunos, que vivem nos smartphones e daqui uns dias não vai ter mais quadro nas salas de aulas, vai ser o aprendizado digital. Então, o estado dar condições para os alunos acompanharem isso é muito importante. Essa emenda, não resta dúvidas, vai colocar Itanhangá em nível de primeiro mundo, pois podem ter o tablet para estudar, pesquisar. Isso é a modernidade e nós estamos levando esse investimento para os moradores de Itanhangá, que realmente merecem tecnologia de primeiro mundo”, afirmou Botelho.

Leia Também:  Veja até quanto você pode receber do seguro-desemprego em 2022

Durante a assinatura do convênio, o secretário de Educação, Allan Porto reconheceu o trabalho do deputado em defesa da educação. “Essa emenda de R$ 250 mil do deputado Botelho veio num momento importante para Itanhangá, onde vai beneficiar os profissionais da Educação. É a soma de esforços por mais um benefício que vai chegar para todos os professores, numa parceria do governo do estado, juntamente com o município. Estamos muito felizes em assinar esse convênio, um dos primeiros das emendas parlamentares. Próximo passo é liberar o recurso, que está em conta, e o município fazer a licitação para a compra desses tablets”, explicou o secretário.  

O prefeito Edu Pascoski agradeceu o benefício. “Tivemos que inovar na pandemia, trabalhando com equipamentos eletrônicos, isso vai contribuir para que possamos trabalhar no aprendizado das nossas crianças. A emenda vem num momento muito bom, nossos agradecimentos a todos. Vamos atender 100% nossos profissionais da rede municipal de educação. Também vamos começar a implementar essas ferramentas para os nossos alunos, num processo gradativo, mas necessário para o futuro”, reconheceu o prefeito.  

Leia Também:  AMM lamenta falecimento da mãe do deputado estadual Eduardo Botelho

De acordo com o secretário, há entendimento para que o governo invista na estrutura física, na tecnológica e, principalmente, na parte pedagógica das escolas mato-grossenses. Tanto que já investe em notebooks para professores da rede estadual e, agora, em fase de licitação a compra de chromebooks para estudantes.  

“São muitos avanços, reformas de escolas, climatização, construção de escola nova e ano que vem o foco será recuperar aprendizagem dos nossos estudantes. Vai vir material complementar, educação financeira, inglês, formação continuada dos professores, trabalho de gestão, cada escola terá uma meta de aprendizagem para atingir seus objetivos”, concluiu Alan Porto.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

Claudinei critica falta de ações preventivas na saúde pública

Publicados

em


Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) falou, neste sábado (15), sobre o cenário enfrentado com o aumento de casos de Covid-19 em Mato Grosso, que elevou a taxa de ocupação de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) para 84%. Além do atendimento aos pacientes acometidos pela doença, também ocorre o surto gripal que aflige a população mato-grossense, especificamente com a chegada do vírus H3N2, que é uma variante do vírus Influenza A.

 De acordo com informações da Secretaria de Saúde de Mato Grosso (SES), já são sete hospitais estaduais que não possuem vagas disponíveis em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em Várzea Grande, Barra do Garças, Sinop, Peixoto de Azevedo, Querência e duas entidades de saúde de Cuiabá. “Realmente, há uma falta de atenção quanto à saúde pública de nosso Estado. Com características relevantes para ser considerada uma das melhores economias do país, principalmente por ser um dos maiores produtores no ramo do agronegócio e da pecuária, era para ter a melhor saúde do Brasil, em estrutura, investimentos e organização”, comenta o parlamentar.

Leia Também:  Ulysses Moraes encerra 2021 com uma economia superior a R$ 5,1 milhões do seu mandato

 Ele considera que o setor da saúde não é exatamente uma prioridade para o governo de Mato Grosso, no instante que faz altos investimentos na área de propaganda institucional. “Mas, para que investir em saúde, em um governo que investe R$ 50 milhões em 2021 e quase R$ 90 milhões para 2022, com propagandas institucionais para atender a gestão estadual. E, claro, já prevendo a campanha para as eleições deste ano. Isso é o retrato da péssima gestão, em matéria de gestão pública estadual”, observa Claudinei.

No ponto de vista do parlamentar, a nova onda da Covid-19 já estava prevista para acontecer desde o final do ano, devido a irresponsabilidade de alguns gestores municipais que realizaram festas de Réveillon. “Mesmo sendo evidenciado o aumento de casos após o Natal, ainda tiveram prefeitos que não quiseram cancelar as festividades de Réveillon. Agora, vivemos o reflexo do que estava previsto e o governo de Mato Grosso não fez nenhuma ação preventiva. Tem municípios que fizeram festas e agora estão impondo restrições para a população e ao comércio. Será que ainda vão ter coragem de promover festas de carnaval para 2022?”, critica.

Leia Também:  Thiago Silva cobra regularização de fornecimento de materiais para cirurgias ortopédicas

Outra situação que o parlamentar frisou foram sobre os leitos de UTI Covid-19 que foram fechados, após o anúncio do Programa MT Cirurgias, em setembro do ano passado, com investimentos de R$ 105 milhões, para regularizar a fila de espera de pacientes que aguardavam realizar cirurgias eletivas e ortopédicas.

 “O governo estadual fechou os leitos de UTIs Covid-19 e as cirurgias eletivas caminham de forma morosa, liberando recursos pingados aos municípios, sendo que há cidades que ainda aguardam por recursos. Um exemplo é o Hospital Regional de Rondonópolis, que ainda não conseguiu colocar as cirurgias em dia. Com o avanço da Covid-19, podemos correr o risco dessas cirurgias eletivas serem interrompidas e retomar os leitos para atender casos com o novo coronavírus. Vamos fiscalizar e exercer o nosso papel de deputado, cobrando melhores condições de saúde pública para o nosso Estado, porque não está fácil”, conclui Claudinei.

Estatística – Na última atualização do Boletim Epidemiológico do Governo do Estado de Mato Grosso, do dia 16 de janeiro de 2022, já são 575.014 casos confirmados de Covid-19, com 14.122 óbitos.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA