NA CAPITAL

Pessoas que tomaram a primeira dose da vacina no Centro de Eventos devem tomar a segunda no polo mais próximo de sua casa na data marcada no cartão

Publicados

em


Davi Valle

Clique para ampliar

A partir da segunda quinzena do mês de julho a campanha de vacinação em Cuiabá começou a receber a maior concentração de aplicação de dose 2 da vacina da Astrazeneca, que tem um intervalo de 12 semanas entre as duas doses. A vacina da Pfizer, que tem o mesmo tempo de espera entre as duas doses, começará a ter um fluxo grande de pessoas para tomar a segunda vacina no começo do mês de agosto.

As pessoas que tomaram a primeira dose tanto da Astrazeneca, quanto da Pfizer já saíram com a data para tomar a segunda marcada no cartão de vacinação e lançada no sistema. Com o fechamento do polo do Centro de Eventos do Pantanal, as pessoas que estavam com a segunda dose marcada para tomar no local tiveram as agendas apagadas do sistema. “Passamos a reagendar estas pessoas para outros polos, mas caso alguém não tenha recebido a nova agenda no cadastro da vacinação, ela pode ir ao polo mais próximo de sua residência, na data e horário marcado no cartão. É imprescindível levar o cartão de vacinação para tomar a segunda dose”, explica Valéria de Oliveira, coordenadora da campanha.

Leia Também:  ARTIGO - Os motivos de ser contra a construção de UHEs e PCHs no Rio Cuiabá

Aqueles que tomaram a primeira dose em outros polos precisam olhar o agendamento da segunda dose no cadastro da vacinação e devem receber a segunda aplicação no dia, horário e local marcado na agenda. “A partir da próxima semana teremos um volume grande de pessoas que vão tomar a segunda dose, além de continuarmos com a aplicação da primeira para os grupos prioritários e para a população de 18 a 39 anos com as vacinas dos faltosos. É uma logística grande e precisamos que todos cooperem e compareçam aos polos de vacinação nas datas e locais corretos para que possamos manter a campanha funcionando de forma organizada”, disse a coordenadora.

Dose 1

Quem está cadastrado no site e ainda não tomou a primeira dose está aguardando em uma fila de espera virtual. Quando a pessoa for agendada, o sistema do site enviará uma mensagem de WhatsApp automática e/ou um e-mail informando que ela já está confirmada para ir tomar sua vacina. No dia da vacinação, ela deve levar o QR Code do agendamento impresso, um documento com foto e o comprovante de endereço de Cuiabá. A pessoa também deve estar com o cartão do SUS atualizado. No caso de vacinação pela categoria profissional, também é preciso apresentar declaração de vínculo funcional. Já no caso das pessoas que se cadastraram pelos grupos de comorbidades ou deficiência permanente grave, além de gestantes, puérperas e lactantes, é preciso apresentar o laudo médico.

Leia Também:  Ministro da Saúde esclarece regras de vacinação para adolescentes

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

NA CAPITAL

Defesa Civil identifica problema que causou inundação em porão de prédio no centro de Cuiabá

Publicados

em


Davi Valle

Clique para ampliar

A Defesa Civil de Cuiabá informou que foi detectado o problema que ocasionou o alagamento no subsolo de um edifício localizado na Rua Barão de Melgaço, na área central da Capital. Segundo informações dos técnicos, a inundação foi provocada por uma mina que já existia no local antes da construção do prédio.

O diretor da Defesa Civil de Cuiabá, José Pedro Zanetti, explicou que com o fechamento do prédio há cerca de dois anos, o fornecimento de energia foi suspenso e a bomba que funcionava no local foi desligada automaticamente. “Após uma vistoria minuciosa por parte dos técnicos da concessionaria, a empresa Águas Cuiabá, de um técnico do Itaú e da Defesa Civil, foi constado que não há mais problema. A bomba está funcionando normalmente”, explicou José Pedro Zanetti.

Na tarde desta segunda-feira (20) a Defesa Civil interditou o local e evacuou o prédio do banco Santander, após constatar a inundação no subsolo, no prédio vizinho. Hoje pela manhã técnicos da Águas Cuiabá realizaram testes na água que se encontrava no subsolo do prédio fechado e não foi constata a presença de cloro ou flúor significando que não se trata de água tratada.

Leia Também:  Primeira-dama de MT entrega 230 cestas básicas a famílias ribeirinhas na região do Pantanal

Um laudo que será emitido ainda nesta terça-feira (21) pelo técnico do Itaú, permitirá seja solicitada a religação da energia nos dois prédios e a liberação da interdição por parte da Defesa Civil.

Nas vistorias realizadas pela concessionária de água, foi constato um vazamento de pequeno porte – não relacionado à inundação do subsolo do prédio -, na altura da Rua Comandante Costa, já reparado. A empresa informou que o abastecimento de água tratada na região central da cidade segue normal.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA