MUNDO

Assédio sexual: Funcionário filma colegas no banheiro do escritório

Publicados

em


source
Funcionário da Activision filmou colegas no banheiro do escritório
Karol Albuquerque

Funcionário da Activision filmou colegas no banheiro do escritório

A Activision Blizzard enfrenta um processo na Califórnia por assédio sexual e discriminação. Agora, um ex-funcionário de tecnologia da informação da companhia confessou ter montado uma câmera embaixo da pia, apontando para um banheiro do escritório da empresa em Minnesota, em 2018, mostram os registros do tribunal.

Tony Ray Nixon confessou ser culpado de interferência com a privacidade, uma contravenção grave. Ele foi preso preventivamente, mas acabou violando a liberdade condicional e acabou recebendo o “tratamento de agressor sexual conforme as instruções”.

O ex-funcionário da Activision tinha a intenção de espionar os funcionários enquanto usavam o banheiro, segundo os registros judiciais. Ainda de acordo com os autos, um funcionário, anônimo, disse ter recebido um e-mail do departamento de recursos humanos informando que o dispositivo de monitoramento não autorizado havia sido instalado no banheiro unissex. A companhia fazia uma investigação interna.

Quando a polícia foi ao local, a gerência informou que um funcionário encontrou duas câmeras instaladas no banheiro, sob as pias. A gerência removeu os dispositivos e enviou para o escritório de Santa Monica, na Califórnia, para análise. Nas investigações, a polícia descobriu que Nixon comprava os cartões micro SD, baterias e câmeras à prova d’água.

Leia Também:  Terremoto na Argentina atinge magnitude de 6.2 na manhã de hoje

O ex-funcionário admitiu que as câmeras capturaram as imagens, mas disse que apagaram os vídeos. Em resposta à revista Vice , a Activision Blizzard disse que removeu os dispositivos assim que o incidente foi relatado e notificou as autoridades.

“Assim que as autoridades e a empresa identificaram o autor do crime, ele foi demitido por sua conduta abominável. A empresa forneceu conselheiros de crise para os funcionários, no local e virtualmente, e aumentou a segurança”, completa a nota. Atualmente, a companhia é processada pelo estado da Califórnia por violar leis trabalhistas e servir como um “terreno fértil para o assédio”.

Riot Games também é processada

Outra desenvolvedora também foi processada pelo mesmo órgão que agora move a ação contra a Activision Blizzard. A Riot Games é processada por discriminação salarial, assédio sexual e retaliação. A ação legal foi tomada pela primeira vez por funcionários da companhia em 2018.

Leia Também:  Alemanha prende quadrilha que planejava ataque terrorista a sinagoga

Via: Vice / PC Gamer

Fonte: IG Mundo

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MUNDO

Unicef pede reabertura de escolas em países atingidos pela pandemia

Publicados

em


O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) pediu que as autoridades do setor de educação reabram as escolas o mais cedo possível em países nos quais milhões de alunos ainda não voltaram às salas de aula 18 meses após o início da pandemia de cvid-19.

Em 17 países, as escolas permanecem totalmente fechadas e, em 39, estão parcialmente fechadas, informa um relatório divulgado pelo Unicef nesta quinta-feira (16).

Entre as “quase completamente fechadas”, estão escolas frequentadas normalmente por cerca de 77 milhões de estudantes das Filipinas, de Bangladesh, da Venezuela, da Arábia Saudita, do Panamá e do Kuwait.

Quase um terço desta cifra corresponde às Filipinas, país que está enfrentando um dos piores surtos de covid-19 da Ásia e onde um novo ano letivo começou nesta semana.

Segundo o Unicef, os alunos dos seis países representam mais da metade dos 131 milhões de todo o mundo que perderam mais de três quartos do ensino presencial.

Leia Também:  Covid-19: Funcionário que recusar vacina poderá demitido, diz presidente do TST

“A crise educacional ainda está aqui e, a cada dia que passa com salas de aula no escuro, pior a devastação”, disse a diretora executiva da agência das Nações Unidas, Henrietta Fore.

O relatório acrescenta que os professores deveriam ter prioridade na vacinação contra covid-19, depois dos profissionais de saúde e das pessoas sob risco maior, para protegê-los da transmissão comunitária.

De acordo com a Unesco, os estudantes podem estar mais seguros em casa, mas a disponibilidade de computadores e celulares e da internet, além da qualidade desigual da educação estão entre os desafios que eles continuam a enfrentar.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA