MATO GROSSO

SES realiza mutirão de cirurgias eletivas no Hospital Estadual Santa Casa

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) irá promover o primeiro mutirão de cirurgias eletivas após o início da pandemia da Covid-19. O Hospital Estadual Santa Casa realizará 55 cirurgias gerais entre sexta-feira (24.09) e sábado (25.09) – serão realizadas cirurgias de hérnia e vesícula. 

Para dar celeridade ao processo pré-operatório, a unidade hospitalar também oferecerá, nos dias 23 e 24 de setembro, um mutirão de consultas ambulatoriais em cirurgia geral. O atendimento aos pacientes seguirá a ordem de espera do Sistema de Regulação. 

Os mutirões integram o Programa Mais MT Cirurgias, anunciado em julho de 2021 pelo Governo de Mato Grosso. Com a queda na taxa de ocupação de leitos exclusivos para Covid-19, a SES destinou parte dos leitos do Hospital Estadual Santa Casa, em Cuiabá, para a execução do Plano Estadual de Retomada de Cirurgias Eletivas. 

A proposta do Plano é orientar as gestões municipais e unidades hospitalares para o retorno consciente e seguro dos procedimentos eletivos ambulatoriais, clínicos e cirúrgicos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Mato Grosso. 

Leia Também:  Auxílio do programa SER Família deverá ser depositado entre final de outubro e início de novembro

Neste contexto, o Governo do Estado convidou prefeitos e secretários de Saúde dos 141 municípios a atualizarem a lista de espera por cirurgias eletivas, para que, de forma gradativa e articulada, seja possível intensificar a realização de procedimentos não urgentes. 

O Programa Mais MT Cirurgias prevê um investimento de R$ 105 milhões e tem como objetivo reduzir drasticamente a fila por procedimentos eletivos no Estado.

Contexto

As cirurgias eletivas estiveram suspensas por mais de um ano em Mato Grosso. A medida foi adotada por meio de Decreto Estadual nº 413 de 18 de março de 2020, que visou à priorização do atendimento aos pacientes com coronavírus e à prevenção da superlotação de leitos hospitalares nas redes pública e privada. 

Com um quadro mais favorável devido à queda da taxa de ocupação de leitos exclusivos para o tratamento do Covid-19, o Governo revogou o decreto do ano passado por meio de outro decreto publicado em julho deste ano.

Atualmente, o Estado registra uma ocupação de 41% dos leitos de UTI e 14% dos leitos de enfermaria específicos para Covid-19 pelo SUS em Mato Grosso.

Leia Também:  Com continuidade neste sábado, "Mutirão de Oftalmologia" é um sucesso
Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Piscicultor recebe assistência da Empaer para criação de tilápias em caixas d´água

Publicados

em


Com um sistema de conjunto de caixas d´água associado à filtragem da água (de forma mecânica e biológica) a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) vem prestando assistência técnica a um piscicultor na cidade de Nortelândia (a 240 km de Cuiabá).

Com dois meses e meio de trabalho, os 336 peixes, que dividem uma área de 32 metros quadrados em quatro metros cúbicos de água, já pesam 200 gramas. A expectativa é que em mais cinco meses e meio estejam prontos para consumo.  Em um tanque convencional seria necessário uma área de 155 metros quadrados e os peixes estariam prontos para consumo entre oito e 10 meses.

O piscicultor e empresário Ronaldo da Silva Texeira explica que quando procurou ajuda de um técnico da Empaer seu objetivo era construir vários tanques no fundo da sua pousada, mas foi orientado a ter cautela e a construir apenas um e aprender a trabalhar com a Piscicultura em Sistema RAIS (Sistema de Recirculação de Água).

“Achei interessante e até desisti do tanque. Iniciamos todo processo e estou bem animado. Exige dedicação e trabalho diário, além de ser complexo, mas, com a assistência, minhas dúvidas são sanadas. Fiquei surpreso por não ter perda de alevino e a cada dia os peixes estão crescendo e logo vamos iniciar com a ração de engorda, por enquanto, estão na ração de crescimento”, destaca Ronaldo.

Leia Também:  Policiais penais apreendem drone com 10 celulares e entorpecentes na PCE

O técnico da Empaer Rafael de Assis Simões destaca que o sistema não é barato e exige investimento. Até o momento, o produtor já desembolsou R$ 6 mil entre alevinos, bombas e materiais, mas já tinha algumas caixas d´agua e canos que foram reaproveitados.

“É um sistema de filtragem que usa pouca água, com foco na alimentação de subsistência. No caso do Ronaldo, que tem uma pousada e um restaurante, vai unir o útil e o agradável”.

Rafael de Assis explica que o povoamento dos alevinos começou em agosto e para cada metro cúbico de água são 83 peixes. O acompanhamento técnico é periódico. “Eu já vinha estudando o Sistema de Recirculação de Água há dois anos e quando surgiu a oportunidade de uma assistência técnica pude colocar em prática o meu conhecimento. O sistema permite reduzir custo com água e energia é ideal para a agricultura familiar, mas é necessário investimento inicial alto”.

Na prática

São utilizados como tanques de cultivo quatro caixas d’água de mil litros e mais três caixas de mil litros para o filtro mecânico/ biológico. O transporte da água entre os tanques de cultivo e o filtro ocorre por tubos de PVC através da pressão pneumática e uma bomba de 12 mil litros/hora, devolve a água do filtro para as caixas de cultivos. A bomba d´água fica ligada 24 horas por dia.

Leia Também:  STF nega transferência de Roberto Jefferson para hospital particular

O acompanhamento técnico é periódico                             Foto: Emaper 

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA