MATO GROSSO

Pesquisa revela impactos e perspectivas de empresários do turismo sobre pandemia

Publicados

em


Mais da metade das empresas do trade turístico de Mato Grosso mantiveram os empregos durante a pandemia da Covid-19 e 62% recorreram a crédito em agências de fomento e bancos. É o que revela a pesquisa “Impactos e Perspectivas sobre o Setor de Turismo em Mato Grosso”, realizada pelo Observatório do Desenvolvimento, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec).

O crédito foi fundamental para que as empresas mantivessem as portas abertas. Mais de 50% dos entrevistados disseram que seu negócio sofreu impacto de 75% a 100% durante a pandemia e 29% acreditam que a previsão de retorno de faturamento será em 2022.

De acordo com os dados do Fundo Geral do Turismo (Fungetur), operado em Mato Grosso pela Desenvolve MT, foram aportados mais de R$ 5,9 milhões em 66 operações de capital de giro e aquisição de máquinas e equipamentos. Empresas de 19 municípios do Estado acessaram o crédito em 2020.

Das empresas que demitiram durante a pandemia, quase 12% já recontrataram pessoal e mais 11,8% tem previsão de recontratar no segundo semestre de 2021. Em relação as medidas para viabilizar os negócios, 18% reduziram custos, despesas e tarifas de produtos e serviços, 17% investiram em marketing e mídias sociais e 17% investiram em medidas de biossegurança.

Leia Também:  Senadores vão debater avanços, desafios e perspectivas do Mercosul

O Ministério do Turismo lançou o selo Turismo Responsável, um programa que estabelece boas práticas de higienização para cada segmento do setor. O selo é um incentivo para que os consumidores se sintam seguros ao viajar e frequentar locais que cumpram protocolos específicos para a prevenção da Covid-19, posicionando o Brasil como um destino protegido e responsável.

A pesquisa coordenada pela Secretaria Adjunta de Turismo revelou que 44,4% das empresas aderiram ao selo Turismo Responsável. Foram emitidos 260 selos em Mato Grosso, especialmente para meios de hospedagem e agências de turismo. 

Os empresários responderam ainda sobre as perspectivas e tendências do setor do turismo no Estado. O ecoturismo, turismo de natureza e sustentabilidade foram citados por 15% dos entrevistados, 13% destacaram turismo de negócios e eventos, com destaque para o agronegócio, e 12% citaram turismo regional e preferência pelas viagens curtas.

A pesquisa foi realizada com prestadores de serviços turísticos com cadastro válido no Sistema Cadastur. Foram 144 respondentes em 36 municípios mato-grossenses. Para acessar a pesquisa completa clique aqui.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Recursos do Nota MT garantem atividades e salários de professores de instituição em Várzea Grande

Publicados

em


O Centro de Promoção Humana Emanuel (CENPHRE) foi criado em 2004, pelas missionárias Maria Tereza Urbano e Maristela Arbués Nery e por um grupo de voluntários, para atender crianças e famílias que se encontravam em situação de extrema pobreza e abandono, na Vila São João em Várzea Grande. Segundo a missionária Maristela, a ideia se deu após Irmã Maria Tereza fazer uma visita na cidade, comparecer a um enterro de uma criança na Vila São João e ver a realidade das crianças e famílias que ali viviam.

“A gente já havia feito esse trabalho semelhante no Vale do Araguaia, com ajuda às famílias que foi muito promissor. Pela nossa experiência, com mais de 30 anos de vida missionária trabalhando na área social com crianças e famílias, nós já tínhamos uma noção de como era”, afirma.

Ao longo dos anos, mãos e corações se juntaram graças a uma rede de colaboradores, voluntários e parceiros contribuíram para a construção de sua sede e manutenção dos seus projetos e programas. Em 2017, com a parceria do Instituto Canopus, a instituição que também era conhecida por Associação Varzeagrandense Madre Tereza de Calcutá, passou a ser denominado CENPHRE Canopus.

Hoje, o CENPHRE Canopus é uma das instituições cadastradas pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) para participar do programa Nota MT, que sorteia valores para consumidores e beneficia entidades através das indicações dos contemplados. No total, participando de outros sorteios a entidade recebeu o valor de R$ 30,5 mil.

De acordo com a coordenadora geral, Cristiane Almeida, a Nota MT auxiliou na manutenção das atividades para as crianças e famílias, principalmente na pandemia. “A gente teve um processo de entrega de alimentos feitos aqui na instituição. Eles vinham buscar e levavam para casa, já que antes se alimentavam aqui no período em que estavam em atividades”, declara a coordenadora.

Leia Também:  Capucine Picicaroli é homenageada em livro e exposição multimídia

Cristiane ainda ressalta que um dos pontos fortes do Nota MT é que os valores repassados para as entidades não são destinados para despesas pré-determinadas, o que colaborou para manter as atividades e salários de professores, instrutores e colaboradores da entidade.

“Apesar do período delicado que estamos vivendo, nós não tivemos demissões. Nós fizemos todo um processo de antecipação das férias, pois sabíamos da importância e não era justo dispensá-los em um momento difícil como esse. Além disso, um sonho realizado e conquistado com os repasses do Nota MT foi a colocação do sistema de energia solar na entidade”, afirma.

O CENPHRE Canopus trabalha com três eixos: educação, proteção social e saúde. A faixa etária atendida são crianças a partir dos 6 aos 14 anos, com atividades voltadas para o esporte, teatro, informática e danças, como balé e danças urbanas.

A entidade está atendendo no modo online e presencial 30% de seus alunos, seguindo as exigências sanitárias. Aqueles que não possuem internet em casa, buscam as suas atividades da sede da entidade.

Cristiane Almeida, ainda conta que o eixo da educação é trabalhado em conjunto com as escolas e famílias, porque uma das exigências da entidade é que seus alunos tenham bom desempenho escolar.

Antes da pandemia, a entidade contava também com voluntários nas áreas da Psicologia e Terapias Integrativas, mas as ações tiveram que ser interrompidas. Para a missionária Maristela, eles ajudavam no processo de cuidado com a saúde das crianças e equilíbrio emocional, com o uso de florais e massagens.

Leia Também:  Centro de Estudos da Câmara deve concluir neste ano análise sobre perfil da dívida pública

Atualmente, a unidade da Vila São João atende cerca de 125 famílias, somando um total de 150 crianças. Porém, a entidade também dá suporte para o Projeto Belém, do bairro São Simão, em Várzea Grande.

A coordenadora reitera a importância do Nota MT para a sociedade mato-grossense e pede para que a população faça o cadastro porque é um programa de sucesso e que beneficia muitas entidades no Estado de Mato Grosso. 

“A gente espera que o programa continue, pois nós fazemos a propaganda de corpo a corpo. Sempre estamos pedindo para que as pessoas se cadastrem no Nota MT e indiquem a CENPHRE como beneficiária. Isso é necessário para fazer a diferença. Às vezes você não para tirar do seu bolso, mas que meios que o Estado está fazendo para ajudar as entidades? E esse é um exemplo”.

Cadastro de Entidades

As instituições e/ou associações interessadas em fazer parte do banco de dados, ou atualizar informações, devem mandar um e-mail para o endereço: [email protected]/ colocar no título “Atualização Cadastral – Nome da entidade” ou acessar a página virtual da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

Outras duas opções: ligar no telefone (65) 3613-5726 ou ainda procurar a Secretaria, no setor Cidadania e Inclusão Socioprodutiva, e atualizar pessoalmente. O endereço da Setasc é Rua Júlio Domingos de Campos, nº 100, Centro Político Administrativo (CPA), em Cuiabá.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA