MATO GROSSO

Oficialização de Pazuello em Ministério garante continuidade de ações na Saúde

Publicados

em


.

Foi com satisfação que recebi a notícia da permanência e oficialização de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde. O gestor, que antes atuava como interino, assumiu oficialmente a pasta na última semana. Como secretário estadual de Saúde de Mato Grosso, entendo que a nomeação de Pazuello é a garantia de que daremos continuidade às ações que iniciamos; e avalio positivamente essas iniciativas.

É certo que a Saúde, independentemente do contexto político, figura entre as pastas mais importantes de um governo. Contudo, em meio à pandemia que desvendou o completo despreparo do mundo, a gestão da Saúde é mais que essencial e decisiva.

Nestes últimos meses, intensos e difíceis para quem atua na linha de frente do combate à Covid-19, o Estado de Mato Grosso contou com o amparo do Governo Federal e priorizou o trabalho conjunto, exatamente como é preconizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).   

Abrimos mais de 160 leitos de Terapia Intensiva (UTI), monitoramos os estoques de Equipamentos de Proteção Individual, testamos a população mato-grossense e oferecemos os medicamentos em casos de prescrição médica. Com o apoio dos municípios de Mato Grosso, chegamos a 300 novos leitos de UTI.

Leia Também:  Saúde é o tema político de maior interesse no Google durante as Eleições 2020

Contudo, nenhuma dessas ações seria possível sem o apoio do Ministério da Saúde, que é a base sólida da gestão tripartite tão defendida pelo SUS. É a atuação integrada das esferas Federal, Estadual e Municipais que rende bons resultados para a população.

Avalio que, durante o período em que atuou como interino, Pazuello buscou o diálogo com os Estados e soube ouvir as pontuações dos gestores estaduais por meio do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). Evidentemente, o contexto é o mais desafiador dos últimos tempos, mas entendo que o alinhamento entre o poder de diálogo e a prática política facilita o trajeto.

Enquanto gestor, fico contente com a decisão do Governo Federal. O atual ministro demonstrou comprometimento com a Saúde Pública nos períodos críticos da pandemia e soube conduzir a pasta que, ao meu ver, é a mais importante deste país. Registro as estimas de êxito ao ministro Eduardo Pazuello e torço para que as ações da Saúde, bem estruturadas até aqui, continuem a beneficiar a nossa população e fortaleçam o valoroso SUS.

 

Leia Também:  Ministério da Infraestrutura inicia fusão de estatais

Gilberto Figueiredo é secretário estadual de Saúde de Mato Grosso e vice-presidente regional do Conass

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Onça solta no Pantanal após se recuperar de ferimentos causados por incêndios florestais será monitorada por até 400 dias

Publicados

em


A onça pintada que foi solta no Pantanal depois de se recuperar dos ferimentos causados por incêndios florestais será monitorada por rádio-colar com GPS que permitirá o acompanhamento de sua readaptação. O controle do animal, chamado de Ousado, será realizado pelo Instituto Chico Mendes (ICMBio).

A partir do rádio-colar será possível monitorar sua localização e saber o seu comportamento, explica o analista ambiental do ICMBio Ronaldo Morato.

“Nossa maior preocupação é saber se o Ousado terá sucesso na sua readaptação, se está caçando, se alimentando, aonde está indo. Ele poderá ficar com o colar por até 400 dias, após esse tempo ele cai sozinho. Será interessante pois poderemos avaliar o comportamento do animal também no período após as queimadas “, afirma Morato.

Ousado foi solto no mesmo local em que foi resgatado, no Parque Estadual Encontro das Águas, no Pantanal, depois de passar mais de um mês em recuperação no Instituto Nex, em Goiás. O animal foi encontrado com algumas queimaduras, ferido e desidratado. No instituto ele recebeu tratamento com ozônio e lazer terapia e foi constatado que não teve perda de função de seus membros o que permitiu ser solto novamente na natureza.

Leia Também:  Débitos podem ser quitados pelo Refis e Regularize de forma on-line ou presencial

De acordo com a coordenadora de Fauna e Recursos Pesqueiros da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Neusa Arenhart, por ser um animal territorialista a soltura no mesmo local em que foi encontrado e onde já tem seu espaço demarcado faz com que ele não precise invadir o espaço de outros animais para buscar alimentos, o que facilita o processo.

Participaram da soltura: Secretaria de Estado de Meio Ambiente, por meio da Coordenadoria de Fauna e Recursos Pesqueiros e Comitê Estadual de Gestão do Fogo, Corpo de Bombeiros, Instituto Chico Mendes (ICMBio), Ibama, Ampara Animal, ONG Panthera, Instituto Nex, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e o pesquisador Wladimir Domingues da Universidade De Maringá.

 

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA