MATO GROSSO

Manutenção dos empregos no setor do turismo foi tema de live

Publicados

em


.

Estudos da Fundação Getúlio Vargas (FGV) apontam que o setor do turismo nacional teve perda de mais de R$ 16 bilhões durante a pandemia. Para que a retomada seja feita de forma segura e concreta, é preciso estratégia e inovação. Afetados dura e diretamente, os empresários e profissionais do turismo buscam alternativas para manter os colaboradores dentro da formalidade.

Para auxiliar neste período, o Governo Federal editou a Medida Provisória 936 que, entre outras coisas, permite que a empresa possa suspender temporariamente o contrato de trabalho ou fazer cortes na jornada e no salário dos funcionários sem demitir. Foi para discutir estes temas e o momento que empresários e colaboradores estão vivendo é que o Governo do Estado realizou nesta quinta-feira (31.07) mais uma live voltada para o setor do turismo dentro do projeto MT Unido para Superar.

De acordo com a professora mestre da Unioeste, no Paraná, Aline Henz, o turismo contava antes da pandemia com uma projeção positiva que representava 10% do Produto Interno Bruto Mundial (PIB), enquanto o setor de viagens de turismo havia crescido 3,5%, gerando US$ 330 milhões em termos globais. “O Brasil estava trabalhando na busca de melhorias e investimentos para o setor. Mas a queda foi expressiva”, afirmou.

Leia Também:  AstraZeneca diz que não é possível disponibilizar vacinas para o setor privado

A juíza do Trabalho, Dayna Lannes Andrade, informou que os empresários ainda podem usar a MP, agora convertida em Lei 14.020/2020. “Temos pela frente decretada a calamidade pública até dezembro e nesse período é possível e recomendado acordar diretamente com o empregador. Cálculos precisam ser feitos, mas há uma facilitação da negociação das empresas de pequeno porte”, explicou.

“As empresas de pequeno porte, além de terem o benefício da MP podem acessar linhas de crédito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) até agosto”, avisou Cláudia Aquino, advogada e presidente da Sociedade Kuiabana dos Amigos do Turismo (Skat).

Os bares e restaurantes também foram impactados com a pandemia e estão fortemente relacionados ao turismo. De acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Mato Grosso (Abrasel), são 20 mil CNPJs  entre bares, restaurantes, cafeterias, boates afetados no Estado, totalizando 80 mil empregos. Somente em Cuiabá, são mais de seis mil CNPJs e 24 mil empregos neste setor.

Leia Também:  Para promover o turismo no Brasil, Azul adesiva Airbus A320neo

Para a presidente da Abrasel, Lorena Bezerra, as linhas de crédito são extremamente necessárias para manter o funcionamento das empresas. ‘Tudo tem sido muito lento, mas antes de tudo a preocupação é readaptar e receber os clientes com segurança para que eles sintam que estão consumindo em locais seguros. Temos o nosso selo ‘’Restaurante Responsável’’ seguido à risca por todos que fazem parte da Associação. Os empresários têm se esforçado para manter o funcionamento e o empregado ativo e buscando inovação”, informou.

As lives ocorrerão às terças e quintas-feiras, às 16h30. Nesta edição, houve a participação da professora do curso de Turismo da Unemat, Rita Garcia, e Rejane Pasquali, empresária e especialista em Turismo. Os eventos online são organizados pelo Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria Adjunta de Turismo, com o apoio da Unemat.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Quarta-feira (27): Mato Grosso registra 212.226 casos e 5.043 óbitos

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (27.01), 212.226 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 5.043 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 1.659 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 212.226 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 7.749 estão em isolamento domiciliar e 198.409 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 273 internações em UTIs públicas e 296 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 67,92% para UTIs adulto e em 34% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (46.040), Rondonópolis (14.244), Várzea Grande (13.971), Sinop (11.180), Tangará da Serra (9.249), Sorriso (9.113), Lucas do Rio Verde (8.466), Primavera do Leste (6.467), Cáceres (4.979) e Nova Mutum (4.452).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

Leia Também:  Projeto institui política de incentivo ao turismo rural

O documento ainda aponta que um total de 182.165 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 417 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na última terça-feira (26), o Governo Federal confirmou o total de 8.933.356 casos da Covid-19 no Brasil e 218.878 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 8.871.393 casos da Covid-19 no Brasil e 217.664 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de quarta-feira (27).

Recomendações

Já há uma vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

Leia Também:  "Meta é entregar 41 mil títulos de regularização fundiária até 2022", afirma presidente do Intermat

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA