ECONOMIA

Trabalhadores ainda podem sacar PIS e Pasep; veja se você tem direito

Publicados

em


source

Brasil Econômico

pessoa com dinheiro na mão
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

PIS e Pasep ainda podem ser sacados


Os brasileiros ainda podem receber o abono salarial do PIS/Pasep , benefício pago como um 14º salário a trabalhadores de baixa renda, pela Caixa ou Banco do Brasil. No caso do PIS, pago a trabalhadores da iniciativa privada, o abono é pago pela Caixa. E no caso dos Pasep, ele é pago a servidores públicos pelo Banco do Brasil.


Para saber se tem direito ao PIS ou Pasep, o trabalhador deve consultar os canais dos bancos. Na Caixa , é possível sacar o abono com o Cartão Cidadão e senha cadastrada em caixas eletrônicos, lotéricas e correspondentes Caixa Aqui. O resgate do valor também pode ser feito direto na agência do banco, com documento de identificação. No caso de correntistas, o abono é depositado diretamente na conta, caso haja movimentação e saldo acima de R$ 1, segundo informações do jornal Agora.

Já no caso do Pasep, o saque é feito nas agências do Banco do Brasil , com documento de identificação. Correntistas também recebem o dinheiro diretamente na conta. E quem tem conta em outro banco pode fazer a transferência pelo caixa eletrônico ou pela internet.

Leia Também:  Resgates no Tesouro Direto superam investimentos em R$ 471,9 milhões

Como consultar – Caixa

Como consultar – Banco do Brasil

  • Pelo site do Banco do Brasil:  https://www36.bb.com.br/portalbb/pasep
  • Telefones da central de atendimento BB: 4004-0001 (capitais e regiões metropolitanas); 0800-7290001 (demais cidades) e 0800-7290088 (deficientes auditivos)

Quem tem direito?

Quem trabalhou por, pelo menos, 30 dias no ano anterior e ganhou até dois salários mínimos, em média, por mês. Também é preciso estar inscrito no PIS/Pasep por pelo menos cinco anos.

O valor do abono varia de acordo com o número de meses trabalhados. Se o trabalhador com carteira assinada exerceu a profissão no último ano inteiro, vai receber um salário mínimo , R$ 1.045. Se trabalhou um mês, vai receber o valor mínimo de R$ 88.

Atualmente, está sendo pago o abono do ano 2020/2021, mas o trabalhador pode sacar o valor do ano anterior do PIS, 2019/2020. Neste caso, a Caixa afirma que o prazo foi estendido até 30 de junho de 2021.

Já no caso do Pasep, o Banco do Brasil informa que o prazo para o ano 2019/2020 se encerrou em 30 de junho deste ano e foi pago a todos os clientes do banco.

Como descobrir a numeração do PIS/Pasep

No caso do PIS, a numeração é a mesma do Número de Identificação Social (NIS) e do Número de Identificação do Trabalhador (NIT), que pode ser encontrada na carteira de trabalho e no extrato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço ( FGTS ).

Leia Também:  Desigualdades educacionais podem crescer no pós-pandemia

Mas o trabalhador também pode obter o número nas agências da Caixa Econômica (PIS) e Banco do Brasil (Pasep) ou pelo pelo site do Cadastro Nacional de Informações Sociais , (CNIS), base de dados do governo.

No site, clique em ‘”Cidadão” e, em seguida, em “Inscrição”. Depois, clique em “Filiado”. Você precisará informar seu nome completo, da sua mãe, data de nascimento e CPF.

Outras orientações

Para clientes da Caixa

Trabalhadores com conta na Caixa nascidos de julho a dezembro receberam o abono do PIS referente ao ano 2020/2021 em 30 de junho de 2020. Os demais irão receber de acordo com o calendário.

Já o prazo do PIS 2019/2020 para saque vai até 30 de junho de 2021 e cerca de 2 milhões de trabalhadores ainda não realizaram o resgate, que anteriormente seria finalizado em 29 de maio de 2020.

Para clientes do Banco do Brasil

  • Trabalhadores com final de inscrição de 0 a 4 correntistas do Banco do Brasil receberam o abono em 30 de junho de 2020. 
  • E servidores não correntistas podem fazer a transferência sem custo em uma agência do Banco do Brasil ou pela internet.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Dólar fecha em R$ 5,37 e tem maior queda em uma semana

Publicados

em


source

Agência Brasil

.
Reprodução: ACidade ON

No mercado de câmbio, o dólar comercial caiu R$ 0,058 (-1,06%) e encerrou o dia vendido a R$ 5,375


Em um dia de euforia nos mercados globais, a bolsa de valores encostou em 110 mil pontos, e o dólar teve a maior queda em uma semana. A sessão foi marcada por notícias nos Estados Unidos que animaram os investidores em todo o planeta.


O índice Ibovespa, da B3, fechou esta terça-feira (24) aos 109.786 pontos , com alta de 2,24%. O indicador está no nível mais alto desde 21 de fevereiro, antes de os primeiros casos oficiais de covid-19 serem registrados no país. Na ocasião, o índice tinha fechado em torno dos 113 mil pontos.

No mercado de câmbio, o dólar comercial caiu R$ 0,058 (-1,06%) e encerrou o dia vendido a R$ 5,375. Essa foi a maior queda diária desde o dia 17, quando a moeda tinha recuado 1.97%. A divisa operou em baixa durante todo o dia, até fechar próxima da cotação mínima da sessão.

Leia Também:  Caixa libera saques do auxílio a 7,4 milhões neste sábado; veja quem tem direito

Vários fatores contribuíram para o otimismo no mercado financeiro . Entre eles, a escolha da ex-presidente do Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) Janet Yellen para ser a próxima secretária do Tesouro norte-americano foi bem recebida pelo mercado.

Com um histórico de política monetária expansionista em sua gestão no Fed, Yellen pode promover mais ações que injetem dinheiro na economia norte-americana, o que empurra para baixo a cotação do dólar em todo o planeta.

O índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, fechou acima dos 30 mil pontos pela primeira vez na história.

Os preços do petróleo retornaram aos maiores níveis desde 5 de março, uma semana antes de a pandemia do novo coronavírus ser declarada. O petróleo do tipo Brent, usado como referência para o mercado internacional, fechou em alta de 3,9%, a US$ 47,86 por barril. O petróleo do Texas teve ganho de 4,3%, sendo vendido a US$ 44,91 o barril.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA