RONDONÓPOLIS

ECONOMIA

Lira acata recurso e dispensa Guedes de comissão na Câmara

Publicados

em

Parlamentares acusam blindagem ao Guedes com recurso aceito por Lira
Lorena Amaro

Parlamentares acusam blindagem ao Guedes com recurso aceito por Lira

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas-AL), acatou um recurso e dispensou o ministro da Economia, Paulo Guedes, de prestar depoimento na Comissão de Segurança Pública nesta terça-feira (5). Guedes foi convocado para explicar os motivos de não ter liberado o reajuste salarial aos policiais, mesmo após um estudo técnico enviado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Segundo Lira, a convocação é antirregimental, pois a omissão no direcionamento de verba não está vinculada diretamente ao Ministério de Justiça e Segurança Pública.

“Afinal, não cabe a Sua Excelência informar sobre matérias alusivas à segurança pública interna e seus órgãos institucionais, tampouco sobre políticas de segurança pública e seus órgãos institucionais. Nesse sentido, é de se supor que a ‘trava’ ao aumento da remuneração dos profissionais da segurança pública alegadamente imposta pelo Ministério da Economia decorra de razões diversas das inerentes às políticas de segurança pública e seus respectivos órgãos”, declarou Lira em seu despacho.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

O recurso atende um pedido de um colega de partido, Neucimar Fraga (ES) que achou a convocação abusiva e fora as regras da comissão. Fraga até tentou recorrer ao presidente da comissão, Aluísio Mendes (PSC-MA), mas teve seu pedido negado.

O responsável pela convocação de Guedes, o deputado federal Luís Miranda (Republicanos-DF), prometeu recorrer da decisão. Na visão do parlamentar, o recurso é uma blindagem para Guedes e prejudica a classe policial.

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Caminhoneiros começam a receber benefício emergencial nesta terça

Publicados

em

Os caminhoneiros com CPF válido e cadastrado no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTR-C) até 31 de maio de 2022, na modalidade “Ativo”, começam a receber as primeiras parcelas do benefício emergencial aos transportadores autônomos de carga a partir de 9 de agosto.

O Benefício Caminhoneiro-TAC tem validade até 31 de dezembro de 2022 e será pago em seis parcelas mensais, no valor de R$ 1 mil. No dia 9 de agosto, os caminhoneiros vão receber duas parcelas, a primeira e a segunda, referentes aos meses de julho e agosto. Por isso, o primeiro pagamento vai totalizar R$ 2 mil, como explicou o ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, no programa Brasil em Pauta, da TV Brasil

“Todos os caminhoneiros com registro ativo até 31 de maio de 2002 serão contemplados com pagamento do benefício”, afirmou. Os lotes seguintes, de R$ 1 mil (cada), estarão disponíveis para pagamento no dia 24 de setembro, 22 de outubro, 26 de novembro e 17 de dezembro.

Benefício Taxista

Já os taxistas, de acordo com Oliveira, vão receber as parcelas de julho e agosto no dia 16 de agosto. O valor é o mesmo dos caminhoneiros, R$ 1 mil, totalizando R$ 2 mil no dia 16. “Nós recorremos às prefeituras para identificarmos os possíveis beneficiados e já temos mais de 300 mil taxistas cadastrados”, disse. O ministro lembrou também, durante a entrevista, que ainda não estão definidas quantas parcelas serão pagas aos taxistas.

Leia Também:  Câmara inicia votação da medida provisória que regulamenta teletrabalho; acompanhe

Os benefícios serão pagos aos caminhoneiros e taxistas para enfrentar o estado de emergência decorrente da elevação do preço do petróleo, combustíveis e seus derivados e dos impactos sociais deles decorrentes.

Atestado médico online

O ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, lembrou, durante a entrevista ao Brasil em Pauta, que os segurados da Previdência Social que precisam passar por perícia médica poderão cadastrar a documentação médica por meio do aplicativo Meu INSS. Desta forma, a avaliação do atestado poderá ser feita remotamente por perito médico federal.

A novidade passou a valer em 29 de julho deste ano. “Com os atestados que o cidadão colocou no sistema do INSS, o médico, a distância, vai fazer a análise e vai poder fazer a concessão do benefício”, explicou. A medida vale para benefícios com validade de até 3 meses. Acima disso, a perícia precisa ser presencial.

INSS Libras

Outra novidade destacada pelo ministro é a possibilidade de a pessoa surda ou com deficiência auditiva ser acompanhada pelo seu intérprete ou tradutor da Língua Brasileira de Sinais (Libras), durante os atendimentos no INSS. A iniciativa passou a valer a partir de 29 de julho deste ano. 

Leia Também:  Comissão debate precatórios e Lei de Improbidade Administrativa

“Lá em São Paulo, por exemplo, nós fizemos uma parceria com a prefeitura e, nas agências da Previdência, estão sendo colocados aparelhos, o segurado acessa este aparelho e a distância tem um intérprete de Libras que vai permitir um melhor atendimento. E, além disso, nós deflagramos um processo de capacitação em todas as agências do INSS do Brasil para que os nossos servidores estejam preparados para recepcionar as pessoas que portam a deficiência auditiva”, explicou.

Geração de emprego

Ainda na entrevista, o ministro do Trabalho e Previdência falou sobre a geração de emprego com carteira assinada em 2002. Segundo o ministro, a previsão é fechar ano com mais pessoas com carteira assinada do que em 2021, quando o Brasil gerou 2,7 milhões de novos empregos formais. 

“Não sei se todo mundo sabe, mas o Brasil foi o país do G20 que mais gerou emprego e com a menor taxa de desemprego no momento”, ressaltou.

O programa com o ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, vai ao ar neste domingo, 7 de agosto, às 22h30, na TV Brasil.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Economia

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA