RONDONÓPOLIS

ECONOMIA

‘Égua prenha’, ‘alvedrio’: veja termos do julgamento da Eletrobras

Publicados

em

source
Tribunal de Contas da União aprovou o processo de privatização da Eletrobras em longa sessão com muitos discursos
Divulgação/TCU

Tribunal de Contas da União aprovou o processo de privatização da Eletrobras em longa sessão com muitos discursos

As mais de quatro horas de sessão no plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) para avaliar o processo de privatização da Eletrobras reservaram espaço para que os ministros defendessem suas posições com discursos longos, cheios de termos técnicos, mas também com metáforas e expressões regionais.

Um dos momentos mais marcantes da sessão que aprovou o processo foi quando o ministro Vital do Rêgo, único a se posicionar contrariamente, criticou a decisão dos seus pares e comparou a Eletrobras a uma “égua prenha”. Segundo ele, é uma expressão muito conhecida na Paraíba, onde o ministro nasceu.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o perfil geral do Portal iG .

“Comprar uma égua prenha é um bom negócio, comprar uma égua prenha é um negócio de sorte. O sujeito compra um animal e na verdade está levando dois pelo preço de um. É o que vemos aqui na potencialização, fazendo, distensionando essa sessão com os senhores. Os homens do mercado estão em festa hoje, estão com uma égua prenha, tem tantos filhotes que nem se imagina, mas essa égua prenha carrega dúvidas àqueles que estejam já estourando sua champanhes nesse momento”, disse.

Leia Também:  Fórum debate relações comerciais do Brasil com Liga dos Estados Árabes

Vital do Rêgo também afirmou que respeitava a decisão do tribunal, mas não entendia.

“Quando o mercado toma as rédeas da economia, faz o que aprendeu a fazer, que é ter lucro”, disse o ministro, que também mencionou que basta ver o que acontecendo com combustíveis e o gás de cozinha, com preços estratosféricos. 

Do outro lado, o ministro Antonio Anastasia misturou tanto a linguagem “popular” quanto a normalmente utilizada em tribunais pelo país.

No começo de sua fala, ele utilizou figuras de linguagem ao elogiar o voto divergente do ministro Vital do Rêgo e pediu permissão para falar que ele colocou o “dedo na ferida” em alguns aspectos. Ainda disse que, como falam em Minas, uma das questões era simples “pão, pão, queijo, queijo”. 

Ao defender sua posição, Anastasia também aderiu a um vocabulário mais rebuscado. “Alvedrio” e “Talante” têm sentidos parecidos, algo como disposição ou interesse.

Leia Também:  Produção industrial cresce 0,3% de abril para maio

” O titular do serviço remanesce sendo a União Federal. O serviço público relativo a energia elétrica continua sendo de propriedade da União, que terá e tem ao seu dispor, ao seu talante, ao seu alvedrio, todos os instrumentos do direito administrativo para um acompanhamento”, disse 

O ministro Bruno Dantas acompanhou o relator Aroldo Cedraz, que havia votado em abril, na aprovação do processo de privatização. Dantas disse que quem vai determinar o preço das ações é o mercado, não o TCU e que a decisão política de vender a Eletrobras já foi tomada no “foro apropriado”, que é o Congresso Nacional e sancionado pelo presidente da República.

“A este tribunal cabe examinar esses aspectos técnicos e segundo eu penso, os aspectos técnicos a cargo do tribunal são muito bem revelados na medida em que esta corte assegura a isonomia no processo de compra dos papeis da Eletrobras”, disse.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Procon-RJ autua mais 15 postos por irregularidade no ICMS

Publicados

em

ICMS: no terceiro dia de fiscalização, quinze postos são autuados por não reduzirem valor da gasolina
Divulgação

ICMS: no terceiro dia de fiscalização, quinze postos são autuados por não reduzirem valor da gasolina

Quinze postos de gasolina foram autuados pelas equipes da Secretaria de Estado de Defesa do Consumidor e do Procon Estadual, nesta quarta-feira (6), o  terceiro dia da operação que visa conferir se os estabelecimentos estão cumprindo a determinação do estado em baixar o preço dos combustíveis após a redução do ICMS . Na última sexta (1º), o governador Cláudio Castro anunciou a redução de 32% para 18% no valor do imposto.

Além disso, outros 75 tiveram o preço reduzido de acordo com o esperado, nove apresentaram preço reduzido abaixo do esperado e outros 19 adequaram preços durante a ação. O preço mais baixo encontrado pelas equipes foi de R$ 5,59, em Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio. No total, 102 postos foram fiscalizados nesta quarta (6).

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Segundo o Governo do Rio, a média do preço praticado para a venda de gasolina diminuiu ainda mais se comparada com os dias anteriores. Nesta quarta (6), o valor médio cobrado foi de R$ 6,30 por litro – uma redução de R$ 1,50 em relação ao preço médio anterior à redução do ICMS. A operação, iniciada na última segunda-feira (4), é realizada e em todas as regiões do estado para garantir que a redução do ICMS sobre a gasolina e o etanol de 32% para 18% chegue até o bolso dos consumidores. Ao todo, 297 postos de combustíveis já foram fiscalizados e 110 receberam autuação por alguma irregularidade. Os fiscais constataram que 173 estavam com o valor reduzido de acordo com a nova tributação, 74 baixaram o preço abaixo da expectativa e 50 adequaram o valor durante a fiscalização.

Leia Também:  Eletrobras

Consumidores poderão denunciar os postos que não estão cumprindo a medida. Neste caso, é imprescindível que o consumidor informe o nome e a localização do posto, com o endereço completo do estabelecimento, além de um breve relato sobre o que está denunciando. Em seguida, o relato pode ser enviado por meio dos três canais do Procon-RJ: o aplicativo, o site do órgão (www.procononline.rj.gov.br) e uma linha exclusiva para denúncia via WhatsApp (21) 98104-5445.

“Não faz sentido o estado abrir mão de uma receita importante e isso não ser revertido para o consumidor. Vamos continuar fiscalizando, checando as denúncias e garantindo que o direito do consumidor não seja ignorado”, garantiu o governador Cláudio Castro.

Desde o início da ação, o Procon-RJ já recebeu 262 denúncias sobre o preço dos combustíveis, porém apenas 107 delas foram válidas.

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA