ECONOMIA

Bolsonaro fala em Bolsa Família de R$ 300 para 22 milhões de pessoas

Publicados

em


source
Presidente justificou o aumento pela inflação dos alimentos causada pela pandemia
Redação 1Bilhão Educação Financeira

Presidente justificou o aumento pela inflação dos alimentos causada pela pandemia

O presidente Jair Bolsonaro voltou a prometer o aumento do programa Bolsa Família de R$ 190 para R$ 300 . Além disso, o número de beneficiários também crescerá para 22 milhões

Hoje, 14,6 milhões de famílias de baixa renda recebem o Bolsa Família. O aumento para 22 milhões pode elevar o custo do programa em R$ 37 bilhões .

Ele justificou o aumento do programa, que deve ser rebatizado para Renda Cidadã, pela elevação dos preços no mercado. “Estamos propensos e bastante interessados, com toda a responsabilidade, chegar no mínimo a R$ 300. Porque houve uma inflação durante a pandemia nos alimentos da cesta básica.”

Até agora, o governo federal indica que a fonte de renda para o programa será a taxação de 20% sobre os dividendos, no entanto, a medida segue em discussões na Câmara, e deve contar nos lucros a partir de 2022. Enquanto isso, o presidente mantém a promessa de pagar o Renda Cidadã em novembro. 

Leia Também:  Pessoas que tomaram a primeira dose da vacina no Centro de Eventos devem tomar a segunda no polo mais próximo de sua casa na data marcada no cartão

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Bandeira vermelha patamar 2 continua na conta de luz de agosto, diz Aneel

Publicados

em


source
Bandeira vermelha patamar 2 continua na conta de luz de agosto, dia Aneel
Fernanda Capelli

Bandeira vermelha patamar 2 continua na conta de luz de agosto, dia Aneel


Consumidores deverão continuar economizando no consumo de energia elétrica em agosto, para não se surpreender com uma conta de luz cara no fim do mês. A bandeira tarifária vermelha, patamar 2, continuará sendo aplicada nesse período, com custo de R$ 9,492 para cada 100kWh consumidos, informou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na noite de sexta-feira.

De acordo com o órgão, a crise hídrica permanece, com os principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN) em níveis “consideravelmente baixos” para essa época do ano.

“Essa conjuntura sinaliza horizonte com reduzida capacidade de produção hidrelétrica e necessidade de acionamento máximo dos recursos termelétricos, pressionando os custos relacionados ao risco hidrológico (GSF) e o preço da energia no mercado de curto de prazo (PLD). O PLD e o GSF são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada”, explicou a Aneel.

Você viu?

As bandeiras tarifárias são divididas entre as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2), que indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

Leia Também:  Confiança da construção atinge maior nível desde março de 2014

Há duas semanas, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou que o nível de água nos reservatórios das regiões Sudeste e Centro-Oeste — os mais importantes para o sistema elétrico — era de 27,79%. O valor é o mais baixo para essa época do ano, segundo os registros do órgão. Isso fez com que o órgão pedisse para que as usinas adiassem as manutenções programadas para o segundo semestre.

O nível de água é inferior, inclusive, aos de 2001, quando o país passou por um racionamento de energia. Naquele ano, em meados de julho, essas barragens operavam com 27,89% da capacidade.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA