CARROS E MOTOS

Veja 5 curiosidades sobre o SUV elétrico Volkswagen ID.4

Publicados

em


source
VW ID.4 é o SUV elétrico que deve vir ao Brasil para se tornar o modelo com emissão zero da marca no País
Divulgação

VW ID.4 é o SUV elétrico que deve vir ao Brasil para se tornar o modelo com emissão zero da marca no País

Lançado em setembro do ano passado na Europa, o SUV elétrico Volkswagen ID.4 chegou em janeiro aos mercados da América do Norte e está cotado também para vir ao Brasil, como parte do plano da fabricante alemã de lançar cinco novos modelos eletrificados no país até 2023.

Com 4,58 m de comprimento, 1,85 m de largura, 1,61 m de altura, o Volkswagen ID.4 é um SUV médio para cinco passageiros, pouco menor do que o VW Taos, que virá da Argentina para o Brasil a partir de maio . Com entre-eixos de 2,77 m, o utilitário elétrico feito na Alemanha e na China fica posicionado entre o Taos (2,68 m) e o Tiguan Allspace (2,79 m).

Leia Também:  Assista ao vídeo do raro Monza SL/E com apenas 1.350 km rodados

Inicialmente disponível apenas na variação de um motor e 204 cv e capaz de rodar até 522 km com uma carga, o SUV é feito sobre a nova plataforma modular MEB, base exclusiva para os elétricos do Grupo Volkswagen e que fez a sua estreia no hatch médio ID.3, lançado em 2019, e futuramente será empregada também na futura Kombi elétrica , modelo que será uma versão de produção do conceito ID. Buzz. Confira abaixo algumas curiosidades sobre o ID.4.

1 – Porta-objetos configurável

O console central do ID.4 conta com porta-objetos configuráveis, que podem ser transformados em porta-copos ou em espaço para… objetos.

Para isso, a Volkswagen oferece no veículo divisórias que podem ser usadas para criar compartimentos na área de armazenagem próxima ao carregador de celular por indução.

2 – Porta-malas ajustável

O ID.4 também traz em seu compartimento de bagagens o piso com altura ajustável, algo que no Brasil também está disponível nos modelos Up, Virtus, Polo e T-Cross.

Você viu?

De acordo com a Volkswagen, o porta-malas do SUV elétrico tem capacidade para até 543 litros. Ou 45 litros a mais do que no Taos.

Leia Também:  Hyundai revela Ioniq 5, modelo elétrico com motor de 306 cv

3 – Painel montado na coluna de direção

A Volkswagen parece ter se inspirado nos Mini Cooper para projetar o quadro de instrumentos do ID.4. O conjunto digital é instalado diretamente sobre a coluna de direção.

O resultado disso é que o conjunto se move junto com o volante, permitindo a visualização completa dos mostradores em qualquer configuração de ajuste da direção.

4 – ID Light

O ID.4 conta em seu interior com o ID. Light , uma faixa de LEDs posicionada na base do para-brisa que é uma maneira visual do veículo se comunicar com o motorista.

A faixa muda de cor, por exemplo, para avisar sobre ligações no smartphone do motorista, dar alertas de navegação ou avisar sobre o status do carro.

5 – Sem botão de partida

Abrir a porta do veículo sem tirar a chave do bolso não é exatamente uma novidade. Mas além dessa característica já bastante comum, o SUV elétrico da Volkswagen não conta com um botão de partida.

Para ligar o Volkswagen ID.4 , basta pisar no pedal do freio e engatar uma marcha. Para desligar, basta estacionar o veículo e colocar a transmissão em “P”.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CARROS E MOTOS

Audi RS6 2021: aceleramos a perua mais veloz do mundo

Publicados

em


source
Audi RS6 2021: tudo é superlativo nessa perua com V8 de 600 cv, câmbio de 9 marchas e porta-malas de 565 litros
Caue Lira/iG

Audi RS6 2021: tudo é superlativo nessa perua com V8 de 600 cv, câmbio de 9 marchas e porta-malas de 565 litros

A Audi Sport é especialista em fazer peruas andarem rápido. Não à toa, a fabricante alemã sabe a receita certa para criar a RS6 Avant 2021, a station-wagon mais veloz do mundo que parte de R$ 871.990. Em um breve passeio, pudemos entender todos os quesitos que tornam o modelo um dos mais divertidos e especiais de sua categoria. Separe papel e caneta para anotar os ingredientes.

O primeiro condimento essencial para o sucesso da Audi RS6 Avant é o legado. A RS2 Avant de 1994 foi a primeira super-perua do mundo, com motor 2.2 turbo desenvolvido pela Porsche , capaz de entregar a fúria de 315 cv de potência. Apenas 2.891 unidades foram produzidas na Alemanha até 1995, e algumas delas ainda rodam no Brasil.

Esta foi a primeira vez que uma fabricante selecionou um motor “brucutu” para colocar em uma perua familiar, prática que logo depois foi repetida por Mercedes-Benz e BMW .

Se no caso da RS2 Avant de 1994 o motor foi desenvolvido pela Porsche, o conjunto da RS6 Avant de 2021 – um V8 4.0 biturbo – tem origem Lamborghini. São 600 cv de potência e brutais 81,6 kgfm de torque, distribuídos às quatro rodas pela tração integral Quattro.

Dessa forma, a RS6 Avant pode acelerar até 100 km/h em míseros 3,6 segundos, com velocidade máxima de 305 km/h. Sua transmissão de oito velocidades é elástica e pode reduzir da sétima marcha diretamente para a terceira sem solavancos, disponibilizando torque cheio.

Leia Também:  Audi RS6 2021: aceleramos a perua mais veloz do mundo

Neste ponto, podemos introduzir o terceiro ingrediente que torna a RS6 tão especial. Apesar da força e do visual, o modelo não é um “carro de corrida homologado para as ruas” como outros da linha RS da Audi.

Tive a oportunidade de ficar alguns dias com o antigo RS3 Sedan para usar na minha rotina – e apesar dos momentos divertidos, não foi um modelo que deixou saudades. Isso porque o sedã esportivo tinha a suspensão muito rígida e seus pneus eram de perfil baixo. Era praticamente um carro para usar no track-day, inviável para as ruas esburacadas de São Paulo.

O mesmo acontece com o Audi TT RS, um veículo de suspensão tão rígida que chega a ser delicado. Por sorte, a Audi RS6 Avant segue uma linha diferente e conta com quatro modos de condução.

Quando não estava acelerando, selecionei o modo “conforto” por um botão abaixo da central multimídia. O motor V8 4.0 ficou profundamente mais manso, e por alguns minutos, me senti dirigindo um Audi A6 convencional com metade da potência. A suspensão pneumática se ajusta para ter comportamento mais leve.

Leia Também:  Gordon Murray faz esportivo baseado no McLaren F1 e homenageia Lauda

O modo “dinâmico” é o oposto. A suspensão da RS6 Avant fica mais dura, o volante transmite mais rebotes às mãos do motorista e o propulsor emite um rugido metálico delicioso.

Outro fator que agradou muito na RS6 Avant é o estilo. Circulando pelas ruas de São Paulo, as pessoas acompanham a elegante perua da Audi com o olhar. A dianteira do modelo é mais sóbria, apostando na elegância proporcionada pelas linhas retas da linguagem visual da Audi.

Na traseira, o caráter de “supercarro” se exibe com um acabamento claro na região do parachoque, próximo às saídas de escape. Pode-se dizer que é um carro mais interessante de se olhar por trás.

Você viu?

A Audi RS6 Avant não tem rival direto no Brasil, já que a Mercedes-AMG não conta com versão Estate do E 63 por aqui. O modelo mais próximo dela é a Porsche Panamera Sport Turismo , que custa R$ 629.001 e tem sistema híbrido. É hora de aproveitar a RS6 Avant enquanto ela existe.

Ficha Técnica

Audi RS6 2021

Preço sugerido: 871.990

Motor: 4.0 V8, gasolina

Potência: 600 cv a 6.000 rpm

Torque: 80,1 kgfm a 2.050 rpm

Transmissão: automática, 9 marchas, tração integral

Suspensão: independente (dianteira e traseira)

Freios: discos ventilados (dianteira e traseira)

Dimensões: 4,99 m de comprimento, 1,95 m de largura, 1,46 m de altura, 2,93 m de entre-eixos

Porta-malas: 565 litros

Consumo: 6 km/l (cidade), 9,5 km/l (estrada)

Tanque: 73 litro

0 a 100 km/h: 3,6 s

Vel. Max: 305 km/h

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA