CARROS E MOTOS

Mini Countryman JCW 2020: ainda mais diversão tamanho família

Publicados

em


source
Mini Countryman
Carlos Guimarães/iG

Mini Countryman JCW 2020: visual irreverente e desempenho de tirar o fôlego para alegrar seu dia em cada acelerada

Vai ser difícil você encontrar algo tão parecido com um SUV e que seja tão divertido quanto o Mini Countryman JCW. Na linha 2020, conseguiram colocar ainda mais lenha na fogueira com motor 2.0, capaz de render 306 cv, potência para acelerar de 0 a 100 km/h em 5,1 segundos, conforme a fabricante. Nada mau, não? E a cada troca de marcha, você vai ouvindo um ronco borbulhante pelas duas saídas de escape.

Comparado a esse Mini Countryman JCW 2020, só me lembro do Mercedes GLA 45 AMG para empolgar tanto. Mas vale lembrar que a nova geração do rival alemão ainda está para chegar ao Brasil e custará bem mais caro. No caso do modelo da marca inglesa, o preço também não é dos mais convidativos, mas é o que se paga por um carro realmente prazeroso de dirigir e cheio de detalhes que fazem a alegria de qualquer entusiasta ao volante. São sugeridos R$ 239.900. E veja: no Brasil, não existe mais VW Golf GTI novo para vender, pelo menos por enquanto.

Então, lá vamos nós acelerando o JCW, que agora passou a ter novo câmbio automático de 8 marchas, da japonesa Aisin, que permite controle de largada. Sim, aquele recurso em que pressiona-se o acelerador e o freio ao mesmo tempo antes da arrancada. Com isso, segue-se o menor tempo possível de aceleração, com ajuda da tração integral, de preferência, em pista fechada.

Ao soltar­­­­­­ um pé do freio com o outro pisando fundo no acelerador a reação é de tirar o fôlego e liberar adrenalina nas veias.Isso em um carro que pesa 1.600 kg. Imagine na mais leve (e ainda mais divertida) versão hatch, de 1.220 kg.

Leia Também:  Interessados ainda podem se inscrever no curso online sobre Mundo Islâmico

É bom ter em mente, também, que essa versão JCW é esportiva mesmo, fazendo jus à fama de Jonh Cooper , engenheiro e projetista britânico que brilhou na Fórmula 1 nos anos 50 e 60. Portanto, saiba que a suspensão é quase “tratada no concreto”, feita para contornar curvas com perfeição. Por outro lado, causa solavancos em piso irregular, o que é acentuado por causa dos pneus 224/45R 19, de perfil baixo.

Além disso, a direção é bem comunicativa e precisa, transmitindo sempre o que acontece entre o asfalto e a borracha dos pneus. Bom também é que o volante de três raios tem boa empunhadura e conta com hastes para trocas se marcha sequenciais. Em condições ideais de aderência, 80% da tração vai para as rodas dianteiras e 20% para as traseiras, o que pode variar conforme cada situação.

British Way of Life

Mini
Divulgação

Mini Countryman JCW 2020 também foge do comum também por dentro, com acabamento caprichado


Por dentro, entre as principais novidades da linha 2020 está a central multimídia com GPS nativo, tela de alta definição e que vem conectada à internet, o que torna possível exibir informações do trânsito em tempo real. O que também agrada é que o sistema de som Harman-Kardon é caprichado, de alta-fidelidade, 12 alto-falantes e dísco rígido de 20Gb.

Para compor um clima de festa, a luz ambiente muda de cor conforme o gosto do freguês e aparece até no painel do lado do passageiro. Quer mais? Pois bem, ao aumentar ou diminir o volume do som, o circulo luminoso ao redor da tela central também vai ficando colorido, nada mais “british way of life”.

E ainda não terminou…A partida é por um botão que parece ter saído de um caça supersônico, com uma luz vermelha que fica pulsando, como se estivesse pedindo para ser apertado. Se quiser, também pode abrir o teto solar panorâmico para o ambiente ficar mais arejado.

mini
Divulgação

Bancos esportivos, do tipo “concha”, ajudam a segurar o corpo nas curvas. E teto panorâmico mantém ambiente arejado

No porta-malas de 450 litros, o toque de sofisticação fica para a tampa com abertura e fechamento automático, bastando apertar um botão. Para completar a série de truques, ao deixar apertado o botão de travamento das portas pelo controle remoto os vidros se fecham e os retrovisores se recolhem.

Leia Também:  Artista finlandês cria um hot rod da Mercedes-Benz

Os bancos dianteiros são esportivos, do tipo “concha”, revestidos de couro Alcantara. Se por um lado o Coutryman é mais pesado que o hatch, por outro é bem mais espaçoso. Há como levar cinco ocupantes, sem muito aperto, com ajuda dos 2,67 metros de entre-eixos, ante os 2,49 m do JCW hatch. Outra boa notícia é que os assentos traseiros são rebatíveis, dobráveis e vêm com ancoragem ISOFIX, para cadeiras infantis.

Ao contrário do Mini híbrido, economia de combustível não é o forte dessa versão esportiva JCW. Mas, pisando de leve no pedal da direita, o câmbio automático de 8 marchas, ajuda a chegar a números apenas razoáveis de consumo. De acordo com dados do Inmetro, o Contryman JCW 2020 pode fazer 8,7 km/l de gasolina na cidade e 11 km/l na estrada.

Conclusão

Os órfãos do Golf GTI o Brasil podem ter no Mini Countryman JCW uma alternativa de esportivo muito bem acertado e com desempenho de tirar o fôlego. Entre os poucos rivais também há como incluir o novo Mercedes GLA AMG, que ainda não chegou ao País. O Audi RS Q3 é uma opção mais radical. Vai chegar no início de 2021, com motor de 400 cv, por R$ 435.990.

Ficha Técnica

Preço: R$ 239.990

Motor: 2.0, quatro cilindros, turbo, gasolina

Potência: 306 cv a 5.000 rpm

Torque: 45,9 kgfm a 1.750 rpm

Transmissão: Câmbio automático, oito marchas, tração integral

Suspensão:Independente (dianteira) e multibraço (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira

Pneus: 225/45 R19

Dimensões: 4,30 m (comprimento) / 1,82 m (largura) / 1,56 m (altura), 2,67 m (entre-eixos)

Tanque : 51 litros

Porta-malas: 405 litros

0 a 100 km/h: 5,1 segundos

Vel. Max: 250 km/h

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CARROS E MOTOS

Fabricantes estudam adiamento do ESP obrigatório para depois de 2022

Publicados

em


source
ESP
Divulgação

Sistema ESP, ou controle eletrônico de estabilidade, evita que o carro fique fora de controle em mudanças bruscas de direção

Por conta da crise econômica, da queda abrupta no faturamento e do aumento de custos ligados a questões como alta do dólar, grande ociosidade, despesas logísticas, entre outros, as fabricantes já estudam adiar a obrigatoriedade do controle eletrônico de estabilidade (ESP) para além de 2022 combinado com os novos índices de emissões, conforme disse à reportagem de iG Carros o presidente da Anfavea, Luis Carlos Moraes.

Depois de algumas idas de vindas, o controle eletrônico de estabilidade (ESP) já passou a equipar apenas todos os lançamentos a partir deste ano. E está previsto que todos os carros produzidos no Brasil devem ter o item a partir de 2022. Mas isso pode mudar, conforme o andamento das conversas que já estão em curso no setor automotivo.

O ESP, ou simplesmente controle de estabilidade e tração – funciona por meio de sensores e modulo eletrônico formando um sistema que evita derrapagens e saídas de frente e traseira, ajudando a manter o carro sob controle em pisos escorregadios ou quando existe um certo abuso da velocidade nas curvas. Atua cortando a potência do motor e freando cada roda individualmente, para gerar força oposta no lado que está derrapando.

Leia Também:  Fabricantes estudam adiamento do ESP obrigatório para depois de 2022

Etapas do Proconve também podem ser adiadas

trãnsito
Divulgação

As novas normas de emissões de poluentes também podem ser adiadas em dois ou três anos, de acordo com a Anfavea

Agora, em janeiro último, também passou a ser obrigatório o cinto de três pontos e o encosto de cabeça para todos os ocupantes. Mas, ainda conforme a Anfavea, as fabricantes também querem adiar em dois ou três anos as próximas etapas do Proconve para veículos leves e pesados.

Entre outras justificativas, a entidade explicou que não é apenas por uma questão econômica, uma vez que o setor prevê uma queda de 40% na sua receita em 2020, mas também por causa da pandemia. Isso porque os testes de desenvolvimento foram prejudicados pela quarentena e se mantém num ritmo abaixo do ideal para proteção dos profissionais que atuam tanto em laboratório quanto no campo de provas.

Conforme Moraes, a crise vem afetando todos os campos profissionais, inclusive a indústria automotiva e a sugestão do adiamento não afeta o compromisso das fabricantes com o meio ambiente, já que tem havido esforços com resultados mensuráveis nos 40 anos.
.

Leia Também:  Conheça três picapes elétricas que vão enfrentar as marcas tradicionais

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLÍCIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA