CARROS E MOTOS

Ford EcoSport já desvaloriza mais do que os concorrentes, aponta pesquisa

Publicados

em


source
Ford EcoSport: depois que deixou de ser fabricado no Brasil, índice de desvalorização do SUV aumentou
Divulgação

Ford EcoSport: depois que deixou de ser fabricado no Brasil, índice de desvalorização do SUV aumentou

O anúncio feito pela Ford em janeiro do fechamento das suas fábricas no Brasil já reflete nos preços do EcoSport no mercado de usados. De acordo com um levantamento feito pela startup de venda de veículos Mobiauto , o SUV compacto da marca americna já apresenta uma desvalorização de 8,94% em um ano de uso.

Na pesquisa, um Ford EcoSport Freestyle 1.5 com um ano de uso é oferecido atualmente pelo valor médio de R$ 80.742, ante os R$ 88.868 pedidos por um exemplar zero km remanescente. Enquanto isso, concorrentes como o Chevrolet Tracker LT e o Jeep Renegade Longitude desvalorizaram 2,99% e 3,08%, respectivamente.

Leia Também:  Preço médio da gasolina no Sudeste ultrapassa R$ 5,00, aponta pesquisa

Você viu?

De acordo com o CEO da Mobiauto, Sant Clair Castro Jr., a queda abrupta de preços do EcoSport revela o excesso repentino de ofertas após a divulgação de encerramento da produção do modelo, que contrasta com a fraca procura no mercado de seminovos. “Na pressa de vender o carro, o consumidor reduz o preço e isso aparece nos cálculos de depreciação. Como parte dos compradores se desinteressou pelo carro, as cotações caem ainda mais”, explica.

Vendas em baixa

Modelo somou apenas 324 emplacamentos na 1ª quinzena de fevereiro
Divulgação

Modelo somou apenas 324 emplacamentos na 1ª quinzena de fevereiro

O EcoSport liderou por vários anos o segmento de SUVs compactos no mercado brasileiro. Mas desde a onda de novidades que se seguiu ao lançamento do Jeep Renegade em 2015, o modelo caiu na preferência do público, embora ainda mantivesse números relativamente altos de vendas.

O Ford EcoSport fechou 2020 com 24.031 unidades emplacadas e a 8ª colocação no ranking de SUVs. Com o anúncio do fim da produção dso modelo no Brasil, o SUV fechou janeiro com 3.241 unidades e perdeu uma posição na tabela de utilitários.

Leia Também:  Da pesquisa ao campo: técnicos participam de atualização com foco na pecuária

O resultado negativo acabou se acentuando ainda mais na parcial de fevereiro, quando foram emplacadas na 1ª quinzena apenas 324 unidades do modelo. Os números do Renavam foram divulgados pela Fenabrave.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CARROS E MOTOS

Audi RS6 2021: aceleramos a perua mais veloz do mundo

Publicados

em


source
Audi RS6 2021: tudo é superlativo nessa perua com V8 de 600 cv, câmbio de 9 marchas e porta-malas de 565 litros
Caue Lira/iG

Audi RS6 2021: tudo é superlativo nessa perua com V8 de 600 cv, câmbio de 9 marchas e porta-malas de 565 litros

A Audi Sport é especialista em fazer peruas andarem rápido. Não à toa, a fabricante alemã sabe a receita certa para criar a RS6 Avant 2021, a station-wagon mais veloz do mundo que parte de R$ 871.990. Em um breve passeio, pudemos entender todos os quesitos que tornam o modelo um dos mais divertidos e especiais de sua categoria. Separe papel e caneta para anotar os ingredientes.

O primeiro condimento essencial para o sucesso da Audi RS6 Avant é o legado. A RS2 Avant de 1994 foi a primeira super-perua do mundo, com motor 2.2 turbo desenvolvido pela Porsche , capaz de entregar a fúria de 315 cv de potência. Apenas 2.891 unidades foram produzidas na Alemanha até 1995, e algumas delas ainda rodam no Brasil.

Esta foi a primeira vez que uma fabricante selecionou um motor “brucutu” para colocar em uma perua familiar, prática que logo depois foi repetida por Mercedes-Benz e BMW .

Se no caso da RS2 Avant de 1994 o motor foi desenvolvido pela Porsche, o conjunto da RS6 Avant de 2021 – um V8 4.0 biturbo – tem origem Lamborghini. São 600 cv de potência e brutais 81,6 kgfm de torque, distribuídos às quatro rodas pela tração integral Quattro.

Dessa forma, a RS6 Avant pode acelerar até 100 km/h em míseros 3,6 segundos, com velocidade máxima de 305 km/h. Sua transmissão de oito velocidades é elástica e pode reduzir da sétima marcha diretamente para a terceira sem solavancos, disponibilizando torque cheio.

Leia Também:  iG Carros Podcast: a dura realidade da eletrificação no Brasil

Neste ponto, podemos introduzir o terceiro ingrediente que torna a RS6 tão especial. Apesar da força e do visual, o modelo não é um “carro de corrida homologado para as ruas” como outros da linha RS da Audi.

Tive a oportunidade de ficar alguns dias com o antigo RS3 Sedan para usar na minha rotina – e apesar dos momentos divertidos, não foi um modelo que deixou saudades. Isso porque o sedã esportivo tinha a suspensão muito rígida e seus pneus eram de perfil baixo. Era praticamente um carro para usar no track-day, inviável para as ruas esburacadas de São Paulo.

O mesmo acontece com o Audi TT RS, um veículo de suspensão tão rígida que chega a ser delicado. Por sorte, a Audi RS6 Avant segue uma linha diferente e conta com quatro modos de condução.

Quando não estava acelerando, selecionei o modo “conforto” por um botão abaixo da central multimídia. O motor V8 4.0 ficou profundamente mais manso, e por alguns minutos, me senti dirigindo um Audi A6 convencional com metade da potência. A suspensão pneumática se ajusta para ter comportamento mais leve.

Leia Também:  Preço médio da gasolina no Sudeste ultrapassa R$ 5,00, aponta pesquisa

O modo “dinâmico” é o oposto. A suspensão da RS6 Avant fica mais dura, o volante transmite mais rebotes às mãos do motorista e o propulsor emite um rugido metálico delicioso.

Outro fator que agradou muito na RS6 Avant é o estilo. Circulando pelas ruas de São Paulo, as pessoas acompanham a elegante perua da Audi com o olhar. A dianteira do modelo é mais sóbria, apostando na elegância proporcionada pelas linhas retas da linguagem visual da Audi.

Na traseira, o caráter de “supercarro” se exibe com um acabamento claro na região do parachoque, próximo às saídas de escape. Pode-se dizer que é um carro mais interessante de se olhar por trás.

Você viu?

A Audi RS6 Avant não tem rival direto no Brasil, já que a Mercedes-AMG não conta com versão Estate do E 63 por aqui. O modelo mais próximo dela é a Porsche Panamera Sport Turismo , que custa R$ 629.001 e tem sistema híbrido. É hora de aproveitar a RS6 Avant enquanto ela existe.

Ficha Técnica

Audi RS6 2021

Preço sugerido: 871.990

Motor: 4.0 V8, gasolina

Potência: 600 cv a 6.000 rpm

Torque: 80,1 kgfm a 2.050 rpm

Transmissão: automática, 9 marchas, tração integral

Suspensão: independente (dianteira e traseira)

Freios: discos ventilados (dianteira e traseira)

Dimensões: 4,99 m de comprimento, 1,95 m de largura, 1,46 m de altura, 2,93 m de entre-eixos

Porta-malas: 565 litros

Consumo: 6 km/l (cidade), 9,5 km/l (estrada)

Tanque: 73 litro

0 a 100 km/h: 3,6 s

Vel. Max: 305 km/h

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA