BRASIL

Paraquedista morre durante salto no interior de São Paulo

Publicados

em


source
Leandro Torelli
Arquivo pessoal

Leandro Torelli chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Um paraquedista de 33 anos de idade morreu durante um salto no último domingo na cidade de Boituva, no interior de São Paulo. Leandro Torelli chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo o Centro Nacional de Paraquedismo, Leandro teria feito uma curva brusca quando estava perto do chão, o que diminuiu a pressão do paraquedas. Com isso, ele desceu até o solo em alta velocidade, se chocando de forma brusca contra o chão.

Depois da queda, Torelli, que era um paraquedista experiente e acumulava mais de mil saltos, foi levado para o Hospital São Luiz e, depois, transferido para um hospital na cidade de Sorocaba, município vizinho ao de Boituva, onde aconteceu o incidente.

Leia Também:  Movimento antivacina é "coisa de retardado", diz esposa de Eduardo Bolsonaro

O corpo do paraquedista foi levado para a cidade de São Paulo, onde morava. O velório aconteceu no Cemitério Vila Nova Cachoeirinha e o sepultamento ocorreu por volta das 11h desta segunda (26).

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

BRASIL

Audiências de custódia poderão ser por videoconferência na pandemia, decide CNJ

Publicados

em


source
Fachada do prédio do CNJ
Agência Brasil

CNJ flexibilizou as regras da audiência de custódia na pandemia

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou nesta terça-feira (24) uma resolução que trata da realização de audiências de custódia por videoconferência quando não for possível a realização, em 24 horas, de forma presencial. A nova regra vale enquanto durar a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

A norma modifica o artigo de uma resolução já existente que vedava a utilização do recurso para realização de audiência de custódia. Na audiência de custódia o juiz avalia a soltura ou manutenção da prisão e, de acordo com a lei, o procedimento deve ocorrer no prazo máximo de 24h após a detenção.

O presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, relator da nova norma, argumentou que a pandemia da Covid-19, que levou o Judiciário a adotar diversas medidas excepcionais, é o fator que justifica a adoção da medida.

Leia Também:  Casal 'voa' após ser atingido por carro desgovernado; assista o vídeo

“A não realização das audiências de custódia durante esse período acarreta prejuízo muito maior a milhares de presos, consubstanciando retrocesso, com o retorno para a dinâmica processual que vigorava até 2015”, afirmou.

A resolução que já previa a adoção de uma série de cautelas, como evitar a presença de agente das forças de segurança na sala para não inibir o preso, participação de representante do Ministério Público e garantia de acompanhamento presencial do preso por advogado ou defensor público e assim prevenir abuso ou constrangimento ilegal, ganhou acréscimos que elevam garantias. Entre elas está a realização de exame de corpo delito antes da audiência.

A realização de audiência de custódia por videoconferência se encontra em discussão no STF e no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA