RONDONÓPOLIS

BRASIL

Pai de Henry critica tentativa de Jairinho voltar à Câmara do Rio

Publicados

em


source
Leniel com o seu filho Henry, que tinha quatro anos
Reprodução/ Redes Sociais

Leniel com o seu filho Henry, que tinha quatro anos

O pai do menino Henry Borel, morto em abril, o engenheiro Leniel Borel reagiu à tentativa de Jairo Souza Santos Junior, o Dr. Jairinho, preso acusado de torturar e assassinar a criança, voltar à Câmara do Rio .

Como publicado pela coluna do jornalista Ancelmo Gois, no GLOBO, Jairinho apresentou Mandado de Segurança ao Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) contra a decisão que cassou seu mandato como vereador do Rio, em junho deste ano. Leniel afirmou que “esse tipo de manobra já era esperada por este monstro, principalmente por se tratar de uma família inserida no cenário político atual”.

“É revoltante que o Jairo continue se prevalecendo da influência política após o assassinato do meu filho, uma criança inocente que não merecia ser agredida. Infelizmente esse tipo de manobra já era esperada por este monstro, principalmente por se tratar de uma família inserida no cenário político atual. Apresentar como pretensão retomar a carreira pública, na qualidade de representante do povo, o que pressupõe limpidez e ausência de mácula em condutas sociais não se compatibiliza com inúmeras agressões a outras crianças e com o brutal assassinato do meu filhinho”, afirmou Leniel.

Leia Também:  Prefeito de Ouro Preto diz que deslizamento foi "desastre previsível"

Leia Também

Segundo a defesa de Jairinho, o inquérito que investiga sua participação na morte de Henry “não possui condão de afastar a presunção de sua inocência”. O pai de Henry também rebate esta tese.

“O inquérito policial está muito bem documentado e conclui as autorias do assassinato de uma criança inocente na madrugada do dia 8 de março deste ano. Apesar de todas essas tentativas da defesa, a verdade sempre prevalecerá. Como pai e cidadão entendo que seja um momento oportuno para que a Justiça prevaleça sobre institutos subjetivos invocados como subterfúgios defensivos que não representam uma sociedade íntegra”, completou.

O médico e ex-vereador Jairo Souza Santos Júnio, o Jairinho, e a mãe de Henry, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva, são acusados de torturas e do homicídio qualificado de Henry Borel Medeiros.

Leia Também:  Capitólio possui 500 áreas em risco iminente, diz ministro do Turismo

Monique e Jairinho estão presos desde 8 de abril de 2021 . O médico e ex-vereador teve negado um pedido de habeas corpus negado pelos desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio. Já a professora entrou com um pedido de relaxamento de prisão no Supremo Tribunal Federal .

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

BRASIL

Onda de calor atinge o Sul; temperatura em SC pode chegar nos 40ºC

Publicados

em


source
Onda de calor atinge o Sul do país
Reprodução

Onda de calor atinge o Sul do país

onda de calor que atinge o Sul do país desde a última quinta-feira (13) continua atuando sobre a região, e as temperaturas podem chegar hoje (17) a 40º C no extremo oeste de Santa Catarina.

A Defesa Civil catarinense emitiu alerta de risco moderado a alto, de fortes pancadas de chuvas com raios, rajadas de vento e possível queda de granizo no fim da tarde e à noite, enquanto durar a onda de calor. As regiões central e leste do estado, onde há mais umidade, são mais suscetíveis, segundo o órgão.

“Entre quarta (19) e quinta-feira (20), a onda de calor continua a manter as temperaturas muito altas em Santa Catarina, com tardes em que as temperaturas ultrapassam os 30°C em todas as regiões e, pontualmente, e podem chegar a superar os 40°C no Oeste”, informa a previsão divulgada pela Defesa Civil do estado.

A onda de calor que se encontra sobre o Sul do país veio da Argentina, onde foram registradas temperaturas de até 44oC, e chegou ao Rio Grande do Sul na última quinta-feira (13). Na sexta (14), foi registrada temperatura máxima de 41,7°C em Bagé (RS), a maior para o município desde o início dos registros, em 1912.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu, na semana passada, alerta de perigo alto, informando que as temperaturas no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná deveriam ficar 5° acima da média no período, por até cinco dias.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA