BRASIL

MPRJ pede prisão de técnica de enfermagem acusada por falsa vacinação

Publicados

em


source
Rozemary Gomes Pita. de 42 anos. técnica de enfermagem investigada por fingir vacinar paciente
repdrodução

Rozemary Gomes Pita. de 42 anos. técnica de enfermagem investigada por fingir vacinar paciente

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) pede à Justiça a prisão preventiva da técnica de enfermagem Rozemary Gomes Pita , de 42 anos, indiciada por peculato e crime contra a saúde pública . As informações são do G1 .

No dia 12 de fevereiro de 2021, Rozemary fingiu aplicar a vacina CoronaVac em um idoso em Niterói , no estado do Rio de Janeiro. Em sua defesa, a técnica de enfermagem alegou que estava “extremamente cansada e estressada”. Ela já foi desligada do quadro de funcionários pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). 

Segundo o MPRJ , a liberdade da profissional da saúde “traz riscos para a ordem pública”, sendo a custódia cautelar preventiva solicitada a medida necessária para a prevenção do crime narrado”.

A 2ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Territorial do núcleo de Niterói diz que Rozemary cometeu crimes intencionais (apropriação ou desvio de um bem público por servidor. A pena prevista para as infrações é de quatro anos.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

BRASIL

Governo não responde queixa de omissão de dados de Covid-19 feita na CGU

Publicados

em


source
Governo não responde queixa de omissão de dados de Covid-19 feita na CGU
TV Senado / Reprodução

Governo não responde queixa de omissão de dados de Covid-19 feita na CGU

O Ministério da Saúde perdeu o prazo e não respondeu em tempo a uma reclamação feita à Controladoria-Geral da União (CGU) sobre a omissão de informações da pandemia de Covid-19 no Brasil. A queixa foi protocolada há dois meses pelo Fórum de Direito de Acesso a Informações Públicas, que reúne entidades e ONGs no país.

O documento com a reclamação foi entregue no dia 21 de dezembro à CGU, responsável pela transparência do governo federal. O órgão encaminhou a queixa à pasta, que não respondeu até a última sexta-feira (19), último dia do prazo.

Pelo fato de não se manifestar no tempo previsto, a pasta agora está passível de suspensão e à exoneração dos servidores responsáveis pela prestação de contas, se for aberto um processo pela Advocacia-Geral da União.

“É preocupante que o órgão responsável por garantir a transparência no governo federal deixe de atender a uma demanda de tanta urgência e relevância”, disse Marina Atoji, coordenadora do Fórum, em entrevista ao portal Uol.

De acordo com o Fórum que fez a reclamação, o ministério comete irregularidades na publicação dos dados sobre a pandemia, como sobre número de contaminados, a distribuição de testes e a atualização do número de leitos disponíveis em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA