RONDONÓPOLIS

AGRONEGÓCIO

SENAR-MT E Sindicato Rural entregam kits de equoterapia para a APAE de Campo Novo do Parecis

Publicados

em


Seis kits para a prática de equoterapia composto por seis mantas, três selas australianas e seis capacetes hípicos foram entregues na última sexta-feira (26.11) para Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Campo Novo do Parecis. A entrega foi feita pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) para o Sindicato Rural do município que repassou para a Apae.

Quem recebeu não escondeu a satisfação. A presidente da Apae, Lucélia Tonin conta que, atualmente, são atendidas 25 pessoas no projeto de Equoterapia da Apae de Campo Novo. “Mas a nossa meta é dobrar os atendimentos. Este material vai nos ajudar a cumprir esta meta”.

A psicóloga responsável pelo projeto de equoterapia na Apae, Thalita Nicolay destaca que o uso de equipamentos adequados para a prática do projeto é extremamente importante para os participantes alcançarem melhores resultados. “Mais que isso, com equipamento, material adequado e pessoal capacitado podemos atender mais pessoas e termos mais qualidade nos serviços prestados”.

O presidente recém empossado do Sindicato Rural de Campo Novo do Parecis, Bruno Giacomeli acrescenta que a Apae é parceira do Sindicato Rural há muito tempo. “O fato de podermos contribuir para melhorar os serviços e aumentar o atendimento é muito importante para nós. Continuaremos buscando apoio e auxílio”, destaca.

Leia Também:  Sindicato Rural de Campo Verde capacita 1,5 mil pessoas em 2021

Quem solicitou os novos kits foi o ex-presidente do Sindicato Rural e atual vice-presidente Jonas Iapp. Ele declara que há uma grande demanda. “Em função disso, fomos buscar ajuda. Esta parceria com o Senar-MT contribuirá muito para o projeto. Este apoio é fundamental para nós”.

O superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), Francisco Olavo Pugliesi de Castro, conhecido popularmente como Chico da Pauliceia destaca que a equoterapia está entre os projetos mais importantes da Promoção Social do Senar-MT. “É uma honra para a instituição contribuir com o trabalho da Apae. Ficamos satisfeitos por melhorar a qualidade dos serviços prestados e o conforto dos praticantes”

Além dos kits, o Senar-MT também oferece capacitação e qualificação para os parceiros e apoia financeiramente instituições consolidadas que executam atendimentos gratuitos para a população carente em mais de 20 municípios mato-grossenses.

Os interessados em ter o apoio do Senar-MT em seus projetos de Equoterapia devem procurar o Sindicato Rural de sua cidade.

EQUOTERAPIA – A terapia com o auxílio de cavalos é indicada para pessoas com disfunção motora, cognitiva, sensorial e psicológica. Não é utilizada como terapia substitutiva, mas sim como um recurso que tem o objetivo de potencializar o processo de reabilitação e habilitação.

Leia Também:  Produtor investe em bovinocultura de corte e busca Senar/MS para obter resultados

É uma técnica que torna o tratamento agradável, efetivo e de melhor aceitação por parte das crianças ou adultos com necessidades especiais. A Equoterapia é uma forma alternativa de tratamento que tem o objetivo de responder aos anseios e limitações dos demais métodos de tratamento.

Para desenvolver a equoterapia e atender as necessidades dos praticantes é preciso uma equipe multiprofissional que atue de forma interdisciplinar para obter os melhores resultados. Para o praticante há vários benefícios. Dentre eles a melhora no desenvolvimento neuropsicomotor dos pacientes, aumento da autoestima, melhora no convívio social, concentração, postura e independência dos pacientes.

A equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência ou com necessidades especiais.

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

AGRONEGÓCIO

O Boletim do Leite de janeiro já está disponível!

Publicados

em


Cepea, 18/01/2022 – Nesta edição, confira:

Preço fecha 2021 com recuo de 9,4%; cenário para 2022 é desafiador
O preço do leite pago ao produtor em dezembro, referente à captação de novembro, fechou a R$ 2,1210/litro na “Média Brasil” líquida do Cepea, recuos de 3,7% frente a novembro/21 e de 9,4% em relação ao mesmo período de 2020, em termos reais (os valores foram deflacionados pelo IPCA de dezembro/21). Leia mais.

2021: ano desafiador para a indústria de laticínios 
A oferta limitada de leite no campo, a competição entre laticínios para assegurar a compra da matéria-prima e o enfraquecimento da demanda por lácteos marcaram a pecuária leiteira em 2021. Pesquisas realizadas pelo CEPEA, com o apoio da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), indicam que as médias dos preços do leite UHT, do queijo muçarela e do leite em pó (400gr) negociados no atacado do estado de São Paulo entre janeiro e dezembro de 2021 fecharam em R$ 3,43/litro, R$ 26,28/kg e R$ 24,80/kg, respectivamente, 0,6%, 0,4% e 7% acima das médias de 2020, em termos reais (deflacionados pelo IPCA de dez/21). Leia mais.

Leia Também:  Diversas autoridades e produtores rurais participam do primeiro dia da visita técnica ao Ctecno Parecis

Em 2021, exportações de lácteos aumentam 19%; importações recuam 21%
Em 2021, o cenário internacional do setor lácteo foi marcado pela elevação dos volumes exportados e redução das importações. Esse cenário é resultado principalmente do alto patamar da moeda norte-americana e da crescente perda do poder de compra do consumidor brasileiro. Segundo dados da Secex, os embarques nacionais de produtos lácteos totalizaram 38,8 mil toneladas em 2021, avanço de 19% em relação a 2020 e o maior volume desde 2016. Leia mais.

Cenário externo e alta do dólar impulsionam custos em quase 19% no ano
O COE (Custo Operacional Efetivo) da pecuária leiteira avançou 18,67% em 2021 na “Média Brasil” (BA, GO, MG, PR, RS, SC e SP) e, entre novembro e dezembro, especificamente, a alta foi de 0,84%. Os grupos de custos que apresentaram aumentos mais significativos no ano foram adubos e corretivos (79,85%), combustíveis (53,28%) e suplementação mineral (32,37%). Leia mais.

Fonte: CEPEA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA