RONDONÓPOLIS

AGRONEGÓCIO

Por uma educação inclusiva e de qualidade

Publicados

em

Os objetivos de desenvolvimento sustentável 4 (ODS 4) busca “assegurar a educação inclusiva, equitativa, de qualidade e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todas e todos, em todas idades”.

Tendo como princípio que a educação é um direito social por ser responsável pela preparação para a cidadania e para a formação de recursos humanos que permite garantir o desenvolvimento social, com vistas a construir uma sociedade livre, justa e solidária, a Embrapa e parceiros visam desenvolver as capacidades humanas, em âmbito do agronegócio e da agricultura familiar e assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade ao longo da vida, a todas as pessoas.

Este esforço conjunto da Embrapa e parceiros das universidades, dos institutos de pesquisa, das organizações estaduais de pesquisa agropecuária, dos órgãos de assistência técnica e extensão rural, do Legislativo, do setor produtivo agrícola e industrial, das agências de fomento à pesquisa, dos órgãos federais, estaduais e municipais estão reunidos numa amostra no e-book ‘Contribuições da Embrapa’ para o ODS 4 e foram produzos pela Rede ODS Embrapa.

Esta publicação é dividida em seis capítulos e destaca os caminhos em que a empresa e parceiros têm trilhado rumo à sustentabilidade da agricultura brasileira:

Leia Também:  OVOS/CEPEA: Preço sobe em junho e sustenta poder de compra frente ao milho

Nos capítulos  1  e  2 são apresentados contextos e desafios da educação no meio rural brasileiro; no  capítulo 3  são apresentados materiais e métodos que visam instrumentalizar a aprendizagem significativa com vistas a contribuir para o atendimento das metas 4.1 e 4.7 da Agenda 2030 da ONU, sobre os ODS; já no capítulo 4, traz diversas práticas de disseminação de conhecimento e tecnologias por meio de eventos, programas, parcerias, conteúdos e espaços demonstrativos dirigidos a crianças,  jovens  e  adultos. A publicação também apresenta as contribuições da Empresa para o cumprimento da meta 4.4. da Agenda 2030. 

No capítulo 5 são destacados os recursos e as boas práticas educacionais utilizadas para promover a inclusão e atender à meta 4.5; por fim, no último capítulo, é apresentado, de forma sintética, o efetivo papel da Embrapa para o apoio ao cumprimento das metas do ODS 4 e que são apontadas como desafios futuros para o desenvolvimento sustentável.

Associadas a esses cenários, diversas outras tendências e desafios têm sido mapeados para os próximos anos, entre as quais se destacam:

 • Desenvolvimento de ações integradas de capacitação para melhorar a gestão de riscos da agricultura via transferência de tecnologia;

Leia Também:  ETANOL/CEPEA: Preços caem mais de 8% em junho

 • Protagonismo e empoderamento dos agricultores;

 • Apoio técnico à modernização e à racionalização dos sistemas produtivos de base familiar;

• Educação empreendedora, que visa promover a oferta de conteúdos de empreendedorismo para consolidar a cultura empreendedora;

• Apoio técnico para a conservação dos recursos naturais e a gestão territorial local;

 • Adoção de padrões abertos na pesquisa: valorização e incorporação do conhecimento externo (a chamada crowd science) tanto na etapa de análise dos fenômenos quanto na validação dos resultados e produtos obtidos;

 • Estabelecimento de laboratórios tecnológicos colaborativos e experimentais que permitam e promovam um contexto de capacitação, de implementação e uso no meio rural.

A educação é um direito humano básico e estabelece os fundamentos para a construção da paz, do bem-estar e do desenvolvimento sustentável.  É uma estratégia essencial na busca pela concretização de todos os ODS.

Acesse a Página Especial da Rede ODS Embrapa, sobre notícias, publicações, soluções tecnológicas e vídeos relacionados aos ODS.

Fonte: Embrapa

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

AGRONEGÓCIO

Dia de campo apresenta tecnologia ILPF com foco na pecuária

Publicados

em

Nesta terça-feira (05/07), produtores, técnicos e estudantes puderam ver de perto como funciona o Sistema Integração Lavoura Pecuária Floresta em uma propriedade. A tecnologia foi apresentada no dia de campo “Importância da ILPF com foco na pecuária para o Leste Maranhense”, realizado na Unidade de Referência Tecnológica (URT) de ILPF na Fazenda Barbosa, em Brejo – MA.

Pesquisadores da Embrapa, técnicos da Fazenda Barbosa e profissionais da Universidade Federal do Maranhão conduziram cinco estações com as seguintes apresentações:  ILPF na Fazenda Barbosa e perspectiva para o Leste Maranhense, Benefícios da pecuária para os sistemas integrados, Manejo e plantio da safrinha de milho e forrageiras, Consórcio milho e forrageiras e a matéria orgânica do solo e a última estação que orientou sobre como viabilizar a pecuária no Leste Maranhense.

O Evento teve como objetivo divulgar os resultados positivos da Fazenda e incentivar a adoção do sistema ILPF entre os agricultores, pecuaristas, profissionais e estudantes da região. O dia de campo é uma realização da Rede ILPF, em parceria com a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ), uma instituição alemã.

Leia Também:  Embrapa Territorial abre processo de seleção de bolsistas PIBIC

ILPF

A ILPF é uma tecnologia de produção agropecuária com grande potencial de mitigação de emissões de gases de efeito estufa e sequestro de carbono pelo solo e biomassa, além de uma série benefícios socioambientais e econômicos. A implementação dos sistemas ILPF variam de acordo com as características de cada região e propriedade.

Maranhão
No estado do Maranhão, atualmente (safra 2020/2021) são 105.012 ha de área cultivada em sistemas integrados, o que corresponde a 2,19 % da área total, revelando a necessidade de promoção da tecnologia para aumento de área.

Fonte: Embrapa

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA