RONDONÓPOLIS

AGRONEGÓCIO

O Boletim do Suíno de abril está disponível no site!

Publicados

em

Cepea, 13/05/2022 – O Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, disponibiliza hoje o Boletim do Suíno de abril de 2022.

Confira aqui a publicação!

Abaixo, alguns trechos:

Mercado em abril

O mês de abril foi marcado pelo aumento da liquidez do suíno vivo e da carne na maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea, sobretudo ao longo da segunda quinzena. Dessa forma, os preços médios do suíno reagiram em parte das praças entre março e abril.

Preços e exportações

As exportações brasileiras de carne suína tiveram leve recuo em abril. Segundo dados da Secex, compilados por pesquisadores do Cepea, entre produtos in natura e processados, o Brasil exportou 88,4 mil toneladas, leve recuo de 1,3% frente ao volume de março e 9% abaixo do de abril/21.

Relação de troca e insumos

Apesar de os preços do suíno vivo não terem subido em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea em abril, o poder de compra do suinocultor avançou em todas as praças. Isso porque os valores dos principais componentes utilizados na ração da suinocultura, o milho e o farelo de soja, recuaram no mercado brasileiro.

Leia Também:  Embrapa participa de audiência pública da Assembleia Legislativa do RS sobre Plano Nacional de Fertilizantes

Carnes concorrentes

O valor médio da carcaça especial suína registrou leve alta entre março e abril frente aos preços da carne de frango, que subiram com força. Diante disso, a competitividade da carne suína frente à de origem avícola cresceu nesse período, atingindo, em abril, o maior patamar desde julho de 2012. A carne bovina, por sua vez, registrou pequena desvalorização de março para abril, o que reduziu levemente a competitividade da proteína suína frente a essa concorrente no último mês.

Fonte: CEPEA

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

AGRONEGÓCIO

NovoAgro Ventures faz dois anos

Publicados

em

A venture builder mineira possui 12 startups em seu portfólio e pretende chegar a 20 até o final do ano, sendo uma grande ponte entre produtores e tecnologia no Brasil

Em junho de 2020 a porteira de Belo Horizonte se abriu para uma nova corporate venture builder, a NovoAgro Ventures, com foco em soluções tecnológicas para o agronegócio, as chamadas agritechs, startups com soluções para o agro.

A NovoAgro Ventures surgiu da união de forças da Federação de Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (Sistema FAEMG), maior federação de agricultura e pecuária do país, com o Grupo FCJ, maior rede de venture building da América Latina. Juntas, além de serem as maiores acionistas da venture builder, criaram a NovoAgro para ser uma ponte entre produtores rurais, agroindústrias e soluções tecnológicas, de uma forma estruturada através do mapeamento de ambas as partes.

Com um modelo de investimento focado no Smart Money onde a rede de investidores não entra apenas com recurso, mas também com know how, outro grande diferencial da NovoAgro está na rede de investidores. São mais de 85 que têm paixão pelo agronegócio e com isto contribuem de maneira efetiva no sucesso das startups.

Leia Também:  Brasil apresenta inovações para produção de algodão a agricultores do Paraguai

Além da rede de investidores com foco em agronegócio, a NovoAgro tem como principal ativo a conexão com o mercado alvo da startup e a oportunidade de validação do modelo de negócio das empresas, o product market fit, com acesso a produtores e agroindústria. Este é um dos maiores desafios de qualquer empresa em seu estágio de validação e a capacidade de gerar escala com acesso ao mercado.

Exemplificando essa questão: 90 % dos produtores rurais brasileiros são pequenos e médios e tem maiores desafios para acesso às novas tecnologias e é nesse segmento que atuamos principalmente, entendendo seus desafios, encontrando soluções e fazendo a conexão e acompanhando os resultados, gerando aumento de produtividade, diminuição de custos sempre com foco na sustentabilidade ambiental social e também econômica. A NovoAgro tem como principal propósito gerar valor para cadeia produtiva do agro, principalmente para o pequeno e médio produtor rural que é a grande base de produtores do sistema FAEMG.

“A NovoAgro é um ecossistema de soluções para o agronegócio onde temos produtores rurais, agroindústria, técnicos e investidores todos com o propósito de aumentar a produtividade de toda cadeia do agronegócio de maneira sustentável.”, afirma Leonardo Dias, CEO da NovoAgro.
 

Leia Também:  Indústria dos EUA avança 1,1% em abril
Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA