AGRONEGÓCIO

Gestão econômica, social e ambiental aumenta índices de sustentabilidade em propriedades rurais

Publicados

em


O aumento no volume foi de 46%. No período, U$ 1,6 bilhão foi comercializado a outros países.

Com o objetivo de elevar os índices de sustentabilidade de propriedades rurais, o programa Soja Plus, do Senar/MS, está presente em 35 municípios de Mato Grosso do Sul. A iniciativa é voltada à melhorias de gestão social, ambiental e econômica e tem como meta para 2021 ampliar o atendimento, atualmente feito a 312 produtores. Esse é o tema da editoria #EducaçãoNoCampo desta semana.

Com 13 técnicos de campo e um supervisor em MS, o programa tem foco na regularização das propriedades quanto às legislações ambientais e trabalhistas, envolvendo ainda segurança do trabalho e qualidade de vida.

“Hoje, 312 produtores rurais do estado estão cadastrados no programa e a meta é ampliar cada vez mais esse número, para que as empresas rurais estejam preparadas para atender os mais exigentes mercados internacionais.  As visitas são bimestrais, com quatro horas de duração, e nelas são desenvolvidos planos de ação de acordo com o perfil de cada produtor”, detalha Gislene Pereira, coordenadora do Soja Plus.

Leia Também:  Busca por ‘Ensino à Distância’ em bovinocultura de leite da Embrapa aumenta 1.000% na pandemia

Dessa forma, segundo Gislene, o programa estimula o empreendedorismo do sojicultor sul-mato-grossense, que já produz com qualidade e sustentabilidade. “O Soja Plus apresenta ferramentas para que os produtores aprimorem essa produção por meio de um processo contínuo de melhorias”, detalha.

Para participar do Soja Plus o produtor pode procurar o Sindicato Rural de seu município e solicitar a visita do técnico de campo. É totalmente gratuito.

Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul – Leandro Abreu

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

AGRONEGÓCIO

Cultivo do coco vira possibilidade para produtores de Mato Grosso

Publicados

em


O plantio do coco vem ganhando novas regiões de cultivo. Produtores do Sudeste e Centro-Oeste do país estão explorando a cultura com a finalidade de produção de água de coco. Segundo o instrutor credenciado junto ao Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), Rafael Reginato Ávila, o cultivo apresenta um grande potencial de exploração.

 “A cultura apresenta uma grande diversidade nas formas de comercialização. O coco é aproveitado de forma industrial através da extração do óleo utilizado na produção de cosméticos, produtos de limpeza, higiene e medicamentos. In natura com o consumo da água e na utilização no preparo de doces e também para confecção de objetos através de sua casca fibrosa”.

Ávila conta ainda que existem três principais variedades de cultivo. “O produtor pode escolher entre gigante, anã e híbrida. É importante que ele se atente aos critérios específicos como estudo do mercado local, potencial produtivo da área e necessidades do público alvo e também se sua propriedade rural atende as necessidades da cultura como solo, clima e questões hídricas”.

Leia Também:  Mais de 12 mil produtores rurais serão atendidos pelo Senar-ES em 2021

O treinamento ofertado pelo Senar-MT em parceria com os sindicatos rurais, possui 40 horas e tem como objetivo ensinar os participantes a fazer o cultivo do coco para consumo, processamento e comercialização, utilizando práticas atuais e de diferentes níveis tecnológicos de produção.

Ingrid Weber, 50, moradora do município de Nobres, aproveitou o curso demandado pelo Sindicato Rural de Rosário Oeste para aprender um pouco mais sobre a cultura. “Além de me interessar bastante pelo cultivo, achei uma boa oportunidade de aprendizado para investir nesse tipo de produção, que ainda falta em nossa cidade”.

A artesã acrescenta que através dos conhecimentos aprendidos no treinamento pretende realizar seu próprio plantio além de repassar as informações para vizinhos e familiares. “Em nosso município necessitamos muito de treinamentos voltados ao cultivo de culturas, até para investirmos mais na agricultura local. Após o treinamento pretendo realizar meu próprio plantio e repassar os aprendizados aos meus filhos e netos. E, caso algum vizinho precise de informações, irei auxiliar também”.

Leia Também:  Batalhão Ambiental encontra pescado com sinais de rede na Feira do Porto
Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA