RONDONÓPOLIS

AGRONEGÓCIO

Centro de Pesquisa em Genômica para Mudanças Climáticas abre vaga para bolsista de pós-doutorado em Genética Molecular

Publicados

em

A pessoa selecionada terá uma bolsa do CNPQ e ficará sediada na Unicamp, em Campinas (SP). O prazo para se inscrever termina em 15 de julho.

O Centro de Pesquisa em Genômica para Mudanças Climáticas (GCCRC), uma iniciativa da Embrapa e da Universidade Estadual (Unicamp), está contratando um(a) bolsista de pós-doutorado para pesquisar associação genômica ampla, visando identificar variações genéticas associadas à tolerância a estresses. O(A) candidato(a) selecionado(a) terá a oportunidade de publicar seus resultados científicos e interagir com cientistas e pesquisadores do Brasil e do exterior.

Pesquisadores interessados devem ter doutorado na área de genética, biologia molecular, melhoramento de plantas e áreas afins. Além disso, devem ter experiência e conhecimento avançados em genotipagem (SNP chip, GBS), estatística genética e genômica funcional.

Ainda é desejável que os candidatos tenham forte organização, comunicação, habilidade de trabalho em equipe, capacidade de solução de problema, trabalho orientado a resultados, capacidade de aprender e executar novos procedimentos, motivação pessoal, capacidade de autogestão e nível avançado de proficiência em inglês.

A pessoa selecionada ficará sediada no GCCRC, na Unicamp, em Campinas (SP), e terá como responsabilidade: gerar e analisar dados de marcadores SNPs para caracterização de diversidade genética em milho; analisar dados fenotípicos utilizando modelos mistos, estatística bayesiana; realizar análises de associação genômica ampla (GWAS) para identificar genes/alelos candidatos haplótipos e marcadores moleculares associados à tolerância a estresses; e realizar extração de DNA, PCR e sequenciamento.

Leia Também:  Prefeitura inaugura o maior centro de convivência e esportivo do Centro-Oeste

A bolsa disponível é do CNPq no valor de R$ 4.100,00 por 12 meses, podendo ser renovada por mais 12 meses.

Para se candidatar o(a) interessado(a) deve enviar seu curriculum vitae, carta de apresentação e dois contatos de referência para [email protected] até 15 de julho de 2022.

Sobre o GCCRC

O GCCRC é uma iniciativa entre Embrapa e Unicamp – no âmbito do programa da FAPESP Centros de Pesquisa em Engenharia (CPEs) – para o desenvolvimento de plantas adaptadas aos estresses das mudanças climáticas globais. Sua plataforma de pesquisa envolve ferramentas de bioinformática, edição gênica, transformação, microbioma, fenotipagem, propriedade intelectual e assuntos regulatórios.

Fonte: Embrapa

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

AGRONEGÓCIO

Dia de campo apresenta tecnologia ILPF com foco na pecuária

Publicados

em

Nesta terça-feira (05/07), produtores, técnicos e estudantes puderam ver de perto como funciona o Sistema Integração Lavoura Pecuária Floresta em uma propriedade. A tecnologia foi apresentada no dia de campo “Importância da ILPF com foco na pecuária para o Leste Maranhense”, realizado na Unidade de Referência Tecnológica (URT) de ILPF na Fazenda Barbosa, em Brejo – MA.

Pesquisadores da Embrapa, técnicos da Fazenda Barbosa e profissionais da Universidade Federal do Maranhão conduziram cinco estações com as seguintes apresentações:  ILPF na Fazenda Barbosa e perspectiva para o Leste Maranhense, Benefícios da pecuária para os sistemas integrados, Manejo e plantio da safrinha de milho e forrageiras, Consórcio milho e forrageiras e a matéria orgânica do solo e a última estação que orientou sobre como viabilizar a pecuária no Leste Maranhense.

O Evento teve como objetivo divulgar os resultados positivos da Fazenda e incentivar a adoção do sistema ILPF entre os agricultores, pecuaristas, profissionais e estudantes da região. O dia de campo é uma realização da Rede ILPF, em parceria com a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ), uma instituição alemã.

Leia Também:  Setor de audiovisual defende mudanças nas leis sobre empresas de streaming

ILPF

A ILPF é uma tecnologia de produção agropecuária com grande potencial de mitigação de emissões de gases de efeito estufa e sequestro de carbono pelo solo e biomassa, além de uma série benefícios socioambientais e econômicos. A implementação dos sistemas ILPF variam de acordo com as características de cada região e propriedade.

Maranhão
No estado do Maranhão, atualmente (safra 2020/2021) são 105.012 ha de área cultivada em sistemas integrados, o que corresponde a 2,19 % da área total, revelando a necessidade de promoção da tecnologia para aumento de área.

Fonte: Embrapa

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

mato grosso

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA